Novo hospital em Santa Bárbara deve gerar até 200 vagas

Prevista para 2020, unidade construída na zona leste de Santa Bárbara d’Oeste vai priorizar mão-de-obra local e terá 90 leitos


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Hospital é construído em área na Rua Limeira

Previsto para ser inaugurado até março de 2020, o Hospital Samaritano de Santa Bárbara d’Oeste deve gerar entre 170 e 200 empregos.

De acordo com o diretor do Samaritano Saúde, o médico cirurgião Ricardo Di Caprio, a contratação de funcionários para as áreas de enfermagem, administrativa e tecnologia da informação vai priorizar a população de Santa Bárbara d’Oeste.

O corpo clínico será composto por médicos da cidade e por profissionais que já atuam junto ao Samaritano – seja na unidade de Americana ou de Campinas.

“Normalmente o que fazemos é contratar mão de obra da cidade. Aqui temos a qualificação que precisamos e a maior parte deve ser de Santa Bárbara. A estrutura vem e alavanca empregos na região”, afirmou Di Caprio.

“De início, a estimativa é ao redor de 170 a 200 [empregos]. À medida que a complexidade vai aumentando você vai crescendo as áreas de apoio”, indicou o diretor.

O hospital vai disponibilizar 90 leitos, construídos em um modelo canadense no qual os pacientes ficam em chalés. O objetivo é reduzir a presença no ambiente hospitalar, melhorando a qualidade de vida durante a internação e reduzindo os riscos de infecção.

A unidade vai oferecer serviço de internação, centro cirúrgico, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adulta e neopediátrica.

Além disso, o hospital contará com uma unidade de hemodinâmica – com cateterismo cardíaco e angioplastia coronária, tratamentos indicados para cerca de 80% das situações de emergência do infarto agudo do miocárdio.

Esse serviço é oferecido pelo Samaritano apenas na unidade de Campinas. Na região, somente o Hospital Unimed oferece o cateterismo de urgência.

“Já exercemos atividade em Americana, e conforme a demanda foi crescendo na cidade, em Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste, veio o interesse em montar a unidade. O hospital inicia com cinco mil metros de área, mas temos 18 mil metros de terreno”, declarou o médico.

A obra teve início em fevereiro em uma área na Rua Limeira, próxima ao supermercado São Vicente, comprada pelo grupo há três anos. O valor investido, segundo Ricardo, é “significativo”.

“Ficamos gratos ao grupo Samaritano por investir na cidade, gerar empregos, recursos e ajudar a desenvolver a cadeia de profissionais da saúde”, afirmou o prefeito Denis Andia (PV).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora