Moradores reformam ponte por conta própria na área rural de SB

Ponte fica entre o Vale das Cigarras e os bairros Caiubi e Cruzeiro do Sul, e faz parte de um trajeto comum entre os moradores na busca por serviços


Cansados das más condições de uma ponte, os moradores do Vale das Cigarras, do Caiubi e do Cruzeiro do Sul se mobilizaram neste domingo (26) para reformar a estrutura que liga os bairros, na área rural de Santa Bárbara d’Oeste.

No início do mês o LIBERAL esteve no local e constatou que a passagem estava com diversos buracos, oferecendo riscos aos moradores. Em contato com a prefeitura naquela ocasião, a administração informou que a demanda era conhecida e que um projeto viável estava em avaliação. Pouco tempo depois, a passagem chegou a ser bloqueada pela Defesa Civil.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Cerca de 9 moradores das proximidades se reuniram para reformar a passagem

Na opinião de Leandro Lopes, morador da Alameda Célio Angolini, “isso aí vai longe”. Com medo de que os cuidados da prefeitura demorassem muito a chegar, cerca de 9 moradores dos três bairros se reuniram para fazer o trabalho. “Eles se juntaram, compraram a madeira com o dinheiro deles e reformaram lá, colocaram corrimão e tudo”, conta.

A urgência da reivindicação está no fato de que os moradores do Vale das Cigarras precisam transitar pelo local para acessar serviços básicos de saúde, educação, transporte público e outros, concentrados nos bairros Caiubi e Cruzeiro do Sul. Sem a ponte, a alternativa seria caminhar até a pista, um trajeto mais longo e perigoso.

“O pessoal se reuniu. Agora começam as aulas e as pessoas teriam que dar a volta lá em cima na beira da pista, com criança, mais perigoso do que passar por aqui”, conclui o morador.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Bueiro próximo à entrada do Caiubi também gera reclamações

Outra reclamação dos moradores é com relação a um bueiro localizado no acesso ao bairro Caiubi. Com mal funcionamento há três meses, segundo os moradores das proximidades, ele precisou ser coberto com terra na tentativa de impedir o mau cheiro.

A Prefeitura de Santa Bárbara foi questionada sobre a situação, mas não respondeu até a publicação desta reportagem.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora