23 de maio de 2022 Atualizado 23:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

Moção de aplauso de Corá para Allan dos Santos é rejeitada em Santa Bárbara

Vereador barbarense queria homenagear o youtuber bolsonarista, que é investigado no inquérito das Fake News e está foragido da justiça

Por Caio Possati

10 Maio 2022, às 22h26

Na propositura, o parlamentar aplaudia Allan “por atos em defesa da liberdade e da democracia” - Foto: Divulgação

A moção de aplauso do vereador Felipe Corá (Patriota) para o blogueiro e youtuber bolsonarista Allan dos Santos, investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por produção e propagação de fake news, foi rejeitada por 11 votos a 6 na sessão parlamentar desta terça-feira realizada na Câmara Municipal de Santa Bárbara d’Oeste.

Na propositura, o parlamentar aplaudia Allan “por atos em defesa da liberdade e da democracia”.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A moção foi protocolada pelo parlamentar barbarense nesta segunda-feira, um dia depois de Allan do Santos voltar ao YouTube com a inauguração de um canal e a publicação de três vídeos. Por decisão judicial do ministro Alexandre de Moraes, o youtuber está proibido judicialmente de produzir conteúdos para a internet desde outubro do ano passado.

O bolsonarista está sendo investigado em dois inquéritos que envolvem a produção de fake news e também a participação em uma milícia digital responsável por fazer ataques ao supremo e à democracia. Em junho do ano passado, Allan foi para os Estados Unidos, onde se encontra até hoje. Como foi dada a voz de prisão por Moraes, e também a sua extradição, o bolsonarista é considerado foragido da justiça brasileira.

“Ao aprovar esta moção estamos parabenizando um homem foragido da Polícia Federal, que é investigado pelo STF em inquérito que investiga produção de fake news e ataques à integrantes da corte, e a participação de uma milícia digital que trabalharia contra a democracia”, disse a vereadora Esther Moraes (PL), que pediu destaque para a moção de Corá.

“Um dos compromissos desta casa”, completou a parlamentar, “é proteger a constituição. É nosso dever coibir qualquer tipo de ação que ataque a nossa democracia, inclusive quando ela vem disfarçada de moção de aplauso pela defesa da liberdade e da democracia. Compartilhar fake news não é liberdade, é crime”.

O vereador Bacchin Júnior (MDB) também criticou a moção e o homenageado. Em sua fala, o medebista lembrou de postagens que Allan dos Santos publicou em seu twitter. “Ele chegou a dizer que o coronavírus é a terra plana da saúde. Ou seja, que a pandemia do coronavírus é uma grande mentira. Outra comparação de mau gosto foi quando ele disse que omitir o uso da cloroquina é o mesmo que deixar o judeu na dúvida entre o chuveiro e a câmara de gás”.

Bacchin ainda lembrou que Allan dos Santos teria escrito em uma de suas redes sociais que o mal súbito que o jogador de futebol dinamarquês Eriksen sofreu, durante uma partida no ano passado, teria sido causado pela vacina contra o coronavírus — o atleta não tinha se vacinado.

Em resposta, Felipe Corá defendeu sua moção, mencionou que Allan dos Santos é “um jornalista internacionalmente reconhecido” e que está sendo “duramente perseguido pelo Supremo Tribunal Federal”, motivo pelo qual ele se encontra, segundo Corá, na condição de “exilado nos Estados Unidos”.

Corá ainda chegou a afirmar, durante a sessão, que Allan dos Santos enviou a ele uma mensagem pedindo para Bacchin Júnior provar a veracidade das mensagens citadas pelo vereador.

“A justiça americana não prendeu Allan dos Santos, a interpol não o extraditou porque a democracia funciona na América”, disse o parlamentar. “Votar contra essa moção é ser a favor da censura e ir contra a liberdade de expressão, e contra um jornalismo independente”, retrucou Corá.

Votaram pela rejeição da moção os vereadores: Bachin Júnior (MDB), Careca do Esporte (Patriota), Carlão Motorista (Republicanos), Carlos Fontes (União Brasil), Celso Ávila (PV), Esther Moraes (PL), Jesus (Avante), Joi Fornasari (PV), Kátia Ferrari (PV), Kifu (PL) e Reinaldo Casimiro (Podemos).

Além do Felipe Corá, votaram pela aprovação da moção de aplauso os vereadores Arnaldo Alves (PSD), Isac Sorrillo (Republicanos), Eliel Miranda (PSD), Nelson Araújo (PSD), Paulo Monaro (MDB) .

Publicidade