21 de abril de 2021 Atualizado 00:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

SANTA BÁRBARA

Manifesto defende criação de comitê representativo para debater a Covid-19

Iniciativa da vereadora Esther Moraes (PL) foi assinada por entidades, movimentos e por profissionais da saúde do município

Por Leonardo Oliveira

06 abr 2021 às 07:13 • Última atualização 06 abr 2021 às 09:03

A vereadora de Santa Bárbara d’Oeste, Esther Moraes (PL), publicou um manifesto que defende a criação de um Comitê de Gestão de Crises para envolver toda a sociedade barbarense na discussão por soluções para a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo a parlamentar, a ideia é ter um comitê “representativo e democrático” que aponte diretrizes para o enfrentamento da pandemia e do pós pandemia.

“A ideia da criação de um comitê vem de encontro com o momento que estamos passando, de muita tristeza, mortes, fome. Enfrentamos a maior crise sanitária do nosso século, que agravou outras crises, educacional, social, econômica, e nós sabemos que é nos municípios que tudo acontece, que os serviço se desenvolvem, que as pessoas procuram por ajuda”, disse.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

O manifesto já teve assinaturas de médicos, servidores públicos, advogados, professores, sindicatos, cooperativas de reciclagem e de coletivos. Ele está disponível para ser assinado eletronicamente clicando neste link.

“Nossa cidade já registrou a segunda maior mortalidade pelo coronavírus em janeiro, estamos com 100% de ocupação de leitos com respiradores desde meados de março, precisamos atender as inúmeras famílias barbarenses que ficaram sem o auxílio emergencial”, acrescenta Esther.

Filosofias do cotidiano no blog da Alessandra Olivato.

No manifesto, a vereadora cita a crise vivida pelo País desde o início da pandemia, com o avanço no número de mortes, com os reflexos da crise na economia e no fechamento de empresas, na educação, com a suspensão das aulas, e no aumento da violência contra a mulher.

“Nós queremos que o poder executivo da nossa cidade crie esse comitê representativo e democrático, abrace essa ideia e esteja presente neste comitê porque é ele quem vai pôr em prática todas as ações”, finaliza.

Publicidade