Liminar deu esperança por cirurgia, diz esposa de vendedor

Gerson Sodré, 57, morreu no domingo depois de um ano de espera por cirurgia; prazo dado por juiz vencia nesta semana


“Ele mesmo falou: ‘quando sair minha cirurgia, vou ser o homem mais feliz do mundo’. E ele estava aguardando muito por essa cirurgia. E nós também, muito aflitos, toda a família. Nós queríamos tanto essa ajuda e não teve, e ele veio a falecer sem resposta nenhuma”.

Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Ele mesmo falou ‘quando sair minha cirurgia, vou ser o homem mais feliz do mundo’.

O desabafo é de Joilda Souza Rios Sodré, 39, esposa do vendedor Gerson Sodré, 57, que morreu na noite desse domingo em Santa Bárbara d’Oeste. Ele esperava há mais de um ano por uma cirurgia de reparo de aorta, e tinha uma decisão liminar que intimava o Estado a fornecer a cirurgia em sete dias. O prazo vencia nesta semana.

O LIBERAL quer saber sua opinião sobre o nosso portal. Acesse o questionário online e nos ajude a melhorar. CLIQUE AQUI PARA RESPONDER A PESQUISA.

De acordo com o processo judicial, Sodré procurou o SUS (Sistema Único de Saúde) de Santa Bárbara no dia 13 de janeiro de 2018 com fortes dores no peito e foi diagnosticado com estenose aórtica. Ele foi submetido a um cateterismo e o médico apontou a necessidade de uma cirurgia de reparação de aorta, que nunca foi agendada.

No dia sete de fevereiro deste ano, o homem teve uma nova crise cardíaca e foi internado na UTI da Santa Casa de Misericórdia de Santa Bárbara d’Oeste. Isso fez com que a família entrasse com um mandado de segurança na 2ª Vara Cível.

O pedido foi aceito pelo juiz Paulo Henrique Stahlberg Natal no dia 19 de março, concedendo a liminar e notificando o Estado a oferecer a cirurgia “com urgência” em um período de sete dias úteis. O recebimento do protocolo ocorreu no dia 22 de março, ainda segundo manifestação do juiz, o que faria com que o prazo vencesse nesta terça-feira.

A própria família protocolou o documento na DRS-7 (Departamento Regional de Saúde) de Campinas, segundo o advogado Rafael Cardoso da Silva, que representava o paciente.

O advogado da família afirmou que vai acionar o MP (Ministério Público) para apurar os responsáveis e “eventual crime de homicídio por omissão”. Ele também entrará com ação de indenização contra o Estado e também contra a prefeitura, já que todo o atendimento desde o ano passado ocorreu pelo SUS municipal.

Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Velório de Gerson Sodré aconteceu no Parque dos Lírios, nesta segunda

O DRS-7 de Campinas e a Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde) afirmaram que iniciaram a busca por vagas “antes mesmo da ação judicial”. Não esclareceram, no entanto, desde quando as buscas ocorriam.

“Porém, o quadro clínico do paciente já era grave e demandava diversos atendimentos complexos, não apenas a cirurgia cardíaca, sendo necessário um serviço de alta complexidade que pudesse agregar o atendimento requerido para o caso. A pasta lamenta a perda dos familiares e está à disposição para esclarecimentos”, informou o Estado.

A prefeitura lamentou o ocorrido e disse que “todos os atendimentos dentro da esfera municipal foram prestados ao paciente durante o seu tratamento, com todos os encaminhamentos realizados prontamente de acordo com a evolução do quadro clínico”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora