Justiça manda prender autor confesso de homicídio em farmácia

Até às 19h30 desta sexta, Gilberto ainda não tinha sido detido e sua advogada não tinha conseguido contato com ele; caso entrou em segredo de Justiça


A 2ª Vara Criminal de Santa Bárbara d’Oeste expediu nesta sexta-feira um mandado de prisão preventiva contra o motorista de aplicativo Gilberto Carlos Falcão Filho, que confessou na quarta-feira o homicídio do feirante Lucas da Silva Paulino, executado a tiros em uma farmácia do bairro São Francisco na última segunda.

O mandado foi concedido pela juíza Camilla Marcela Ferrari Arco após pedido do promotor de Justiça, Rodrigo Aparecido Tiago. Até às 19h30 desta sexta-feira, Gilberto ainda não tinha sido detido e sua advogada, Sandra Fernandes Manzano, não tinha conseguido contato com ele.

Foto: Reprodução
Gilberto Carlos Falcão Filho confessou ter matado o feirantes Lucas da Silva Paulino

O feirante de 28 anos estava na frente do caixa da farmácia quando o suspeito entrou no local e efetuou os disparos. O crime ocorreu às 22h37. Lucas foi socorrido ao Pronto Socorro Edison Mano, mas não resistiu.

Gilberto se apresentou dois dias depois e prestou depoimento às 18h47, confessando o crime na presença de sua advogada. A motivação e os detalhes não foram informados por ele, o que só será feito em juízo. O veículo utilizado no crime e o revólver calibre 38 foram apreendidos.

Como não houve flagrante, o homem foi liberado, o que fez com que o delegado responsável pela investigação, Reynaldo Peres, entrasse com o pedido de prisão preventiva. O mandado é válido por 30 dias. Também foi autorizada a quebra do sigilo telefônico dele.

A advogada de Gilberto disse que ainda estava tentando entrar em contato com seu cliente. “Tenho que saber dele o que ele quer fazer na verdade”, explicou Sandra.

Ameaças

O LIBERAL teve acesso aos depoimentos concedidos envolvidos para a polícia por meio do site do TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo). No começo da noite, o caso entrou em segredo de Justiça e não é mais possível acompanhar as movimentações.

De acordo com depoimento da esposa de Gilberto, na quarta, ela e Lucas tinham encontros afetivos há cerca de 15 dias. Antes disso, desde fevereiro, os dois já se relacionavam.

Os encontros eram pagos por Lucas, segundo o depoimento da mulher, que disse que já não dormia mais no mesmo cômodo que Gilberto e que ambos tinham concordado em se separar. O esposo sabia da atuação dela como garota de programa.

Entretanto, Lucas e Gilberto acabaram discutindo por meio de mensagens de áudio após a mulher trocar mensagens com Lucas em uma festa da família de Gilberto. Há ainda no depoimento dela afirmações de que Lucas teria colocado pessoas para seguir Gilberto.

Na noite do crime, antes das 22h30, Gilberto ligou para a esposa para perguntar se Lucas tinha dito algo para ela. A mulher afirmou para a polícia que não disse ao esposo onde Lucas estava, já que sabia apenas que ele tinha ido em algum cinema com sua esposa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora