Homem é liberado depois de ser detido por roubo e confessar crime

PM encontrou o suspeito dirigindo o carro roubado quatro horas após o assalto, porém delegado entendeu que não havia condições para flagrante


Um auxiliar de empilhadeira de 51 anos e a mulher dele, de 55 anos, foram vítimas de um roubo de carro na Avenida De Cillo, no Jardim Paulista, em Santa Bárbara d’Oeste, nesta segunda-feira, às 17h30. O ladrão foi identificado, detido e confessou o roubo, mas vai responder em liberdade.

De acordo com as vítimas, o roubo aconteceu em frente a uma padaria. A mulher estava no carro, esperando o marido, quando foi abordada por um homem armado com uma faca. Ele roubou o carro, um Toyota Corolla, e carteira com documentos e cartões, além de uma Bíblia.

Foto: Polícia Militar / Divulgação
Suspeito foi detido dirigindo carro roubado na Avenida Bandeirantes

Cerca de quatro horas após o roubo, a PM (Polícia Militar) localizou o veículo trafegando pela Avenida Bandeirantes. Deu sinal de parada, mas o condutor do carro deu início à fuga.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

O suspeito passou pela Avenida Tiradentes e Rua Floriano Peixoto, em direção à Unimep. Ao acessar a Rodovia Luís Ometto (SP-306), o condutor do carro perdeu o controle e bateu em uma árvore.

Ele desceu do veículo e foi abordado. Questionado, disse que é estudante e tem 20 anos, e admitiu que tinha roubado o carro para quitar uma dívida de drogas. O carro teve danos de grande monta, de acordo com o boletim de ocorrência, e foi levado para o pátio.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

O autor do roubo foi detido e levado para o plantão policial, onde foi ouvido, admitiu o roubo também à Polícia Civil, mas foi liberado por “decurso de prazo”.

O delegado Gelson Aparecido Barreto explicou que, naquele momento, não era possível aplicar nenhuma das quatro hipóteses previstas no artigo 302 do Código do Processo Penal que trata das condições exigidas para o flagrante, que são as seguintes:

I – está cometendo a infração penal;

II – acaba de cometê-la;

III – é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração;

IV – é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora