Homem é detido sob suspeita de estuprar a própria filha de 11 anos

Estudante relatou caso para diretora de escola, que acionou a PM de Santa Bárbara d'Oeste; suspeito foi levado à delegacia, onde foi ouvido e liberado


O pai de uma estudante de 11 anos foi detido pela PM (Polícia Militar) nesta sexta-feira (13) à noite, em Santa Bárbara d’Oeste, sob suspeita de estuprá-la. De acordo com o boletim de ocorrência, a criança relatou à diretora que vinha sofrendo abusos dele. O caso está sob investigação da Polícia Civil e do Conselho Tutelar local e será denunciado ao Ministério Público.

O homem foi detido em uma unidade de ensino do Jardim Esmeralda, por volta das 18h30. Segundo o registro policial, dois PMs foram até a unidade de ensino, após solicitação da Copom (Centro de Operações da Polícia Militar).

Foto: Arquivo / O Liberal
O caso no Plantão Policial de Santa Bárbara d’Oeste

De acordo com o relato da cabo e do soldado que foram ao local, logo após a diretora receber o relato da aluna, que mora no Jardim Pérola, o pai da criança chegou na escola para buscá-la e foi detido pelos policiais. O Conselho Tutelar da cidade foi acionado e todos foram encaminhados ao Plantão Policial, onde foi registrado um boletim de ocorrência de estupro de vulnerável.

O documento aponta que a criança foi encaminhada a um pronto-socorro local, onde foi examinada clinicamente e liberada. A conselheira tutelar de plantão informou que a estudante ficará sob a responsabilidade de sua tia, mediante termo de compromisso.

A tia não quis falar sobre o caso com a reportagem, mas informou que a criança está bem e que a família ficou abalada com o ocorrido. A Polícia Civil informou que o suspeito foi liberado após ser ouvido. Ele vai responder pelo crime em liberdade.

“A menina de 11 anos está com a tia dela, o Conselho Tutelar tomou todas as providências, levou até o médico e ela está afastada da mãe. Está com a tia dela, até fazermos todo um trabalho de providências e assistências. Vai tudo encaminhado para Creas (Centro de Referência Especializada em Assistência Social) e para a Saúde Mental. A partir de segunda-feira, a gente comunica também a Promotoria [da Infância e Juventude] porque é um caso que tem que ser monitorado bem de perto”, explica o conselheiro tutelar Irineu Lisboa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora