24 de janeiro de 2021 Atualizado 16:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Santa Bárbara

Guardas de Santa Bárbara pedem armamento melhor

Agentes apontam defasagem nas pistolas usadas atualmente e reivindicam armamento que possa dar maior tranquilidade no trabalho

Por Leonardo Oliveira

12 jan 2021 às 08:00 • Última atualização 12 jan 2021 às 14:54

Armas usadas atualmente não são adequadas, segundo os guardas - Foto: Divulgação - Prefeitura de Santa Bárbara

Guardas municipais de Santa Bárbara d’Oeste pedem que a prefeitura troque suas armas de fogo de porte pessoal. O argumento é de que a pistola .380 que eles possuem não é a mais recomendada para o trabalho policial por ter menor “poder de parada” e um maior “poder de perfuração”.

O LIBERAL conversou com agentes que cumprem serviço na GCM (Guarda Civil Municipal) e que querem mudanças no armamento. Eles, que pediram para não terem seus nomes revelados, explicaram as características da pistola usada.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“A .380 tem o poder de perfuração, que pode ocasionar problemas como atravessar o alvo e acertar outras pessoas alheias a ocorrência, bem como, mesmo depois que você tenha acertado o agressor, ele consegue ainda continuar a agressão, colocando a nossa vida e de terceiros em risco”, disse um dos agentes.

Os guardas querem que a prefeitura se adeque a um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em 2019, que flexibilizou o porte de armas e permitiu o acesso a calibres maiores, que antes eram autorizados somente para uso das forças armadas.

Pela Constituição, os guardas municipais possuem permissão para utilizar arma de fogo. Eles recebem da prefeitura a pistola .380 que utilizam durante o serviço, e têm a missão de guardá-la também fora do expediente, caso haja uma ocorrência em caráter emergencial.

“A reclamação é porque nós temos hoje a possibilidade de uma .40 ou 9mm. Alguns estudos apontamque a 9mm é até melhor, mas a evolução é justamente por conta dos conflitos que possam surgir e você ter mais condição de trabalho”, disse outro guarda ao LIBERAL.
O vereador Eliel Miranda (PSD) protocolou, na última semana, um requerimento pedindo para a prefeitura responder se prevê orçamento para substituir o armamento da GCM e a quantidade de armas que seriam adquiridas. “Nós temos algumas armas maiores, como carabina, mas essa de porte pessoal estamos precisando de uma evolução”, argumentou.
“Você pode até apertar um parafuso com uma faca, mas tendo uma chave de fenda é muito melhor. Tendo a ferramenta correta para o trabalho, acompanhado de treinamento, nos dá uma maior garantia de voltar para casa, bem como prestar um serviço de maior qualidade à população”, disse outro guarda ouvido.

Questionada, a Prefeitura informou que aguarda o recebimento do requerimento para depois enviar uma resposta.

Publicidade