20 de outubro de 2020 Atualizado 20:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Luto

Fundadora da Rede Feminina de Combate ao Câncer morre aos 90 anos

Rosinha fundou a rede em Santa Bárbara em 1972; corpo foi velado em Vinhedo e depois cremado em Campinas

Por Marina Zanaki

24 set 2020 às 17:09 • Última atualização 24 set 2020 às 17:17

Morreu nesta quarta-feira (24), aos 90 anos, a fundadora da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Bárbara d’Oeste, Rosa Abiko Wakabara, a dona Rosinha.

Ela foi internada após apresentar um problema vascular. Já no hospital, teve uma parada cardíaca, foi reabilitada, mas sofreu uma insuficiência renal. Rosinha não resistiu à complicação e faleceu.

Dona Rosinha morava na cidade de Vinhedo – Foto: Rede Feminina de Combate ao Câncer/Divulgação

Rosinha fundou a Rede Feminina em 16 de junho de 1972, com o objetivo de auxiliar na autonomia financeira e social de pessoas com câncer e seus familiares.

Superintendente da Rede Feminina, Carla Bueno contou que a fundadora ainda era presente na entidade e que vinha pelo menos três vezes ao ano até a sede. Rosinha atualmente morava em Vinhedo.

Carla lembrou que recebia diversas cartas escritas por Rosinha, sempre com conteúdo de empoderamento para toda a Rede Feminina.

“Ela sempre foi um pilar, a gente sempre honrou muito o que ela desejava e mesmo longe fazíamos o que ela gostaria que fosse feito. É uma dor muito grande, mas o legado dela vai continuar por muito tempo ainda”, declarou a superintendente ao LIBERAL.

“A partida de dona Rosinha aumenta em nós a nossa responsabilidade em prosseguir no apoio a pessoas com câncer e no combate ao câncer, de todas as formas”, finalizou Carla.

O serviço de capacitação e geração de renda da Rede Feminina, inaugurado em 2017, foi batizado como Espaço Rosinha Wakabara. A marca dos produtos confeccionados pelas mulheres também recebe o nome da fundadora – “Arte das Rosinhas”.

Rosinha foi velada no Velório Municipal de Vinhedo e seu corpo levado ao crematório de Campinas. Ela era viúva do engenheiro Eizo Wakabara, diretor nas Indústrias Romi S.A e voluntário do Rotary Club de Santa Bárbara d´Oeste. Ela deixa dois filhos e cinco netos.

Publicidade