Estudante surdo faz prova do Enem em sala especial

Após ter o aparelho auditivo danificado por fiscais do Enem, no primeiro domingo de prova, o estudante faz segunda prova em sala especial


“Hoje deu tudo certo, graças a Deus”, desabafou o contramestre Lourival Francisco Ribeiro, 45, pai do estudante de 17 anos, deficiente auditivo, que foi prejudicado no primeiro domingo de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), devido a desentendimento com fiscais da sala onde realizaria o exame.

Segundo Lourival, a família estava ansiosa pelo segundo do Enem, mas “tranquila” por saber que o jovem faria a prova em uma sala especial. “Durante a semana, o pessoal do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais] ligou pra gente e disse que ele faria a prova numa sala especial pra ele. Isso nos deixou bem mais tranquilos neste segundo dia”, explicou.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Família estava ansiosa pelo segundo do Enem, mas “tranquila” por saber que o jovem faria a prova em uma sala especial

Assim que chegou a FAC (Faculdade Anhanguera) de Santa Bárbara d´Oeste, local onde faria a prova, uma professora conhecida do jovem o aguardava na portaria. Ela o acompanhou até a sala indicada, onde o estudante realizou o prova sozinho e sem interrupções.

No dia 5 de novembro, primeiro domingo do Enem, fiscais do exame levantaram suspeitas contra o aparelho usado no ouvido pelo garoto. Ele foi retirado da sala, questionado e, mesmo depois de apresentar o comprovante de inscrição onde constava que era deficiente auditivo, teve seu aparelho retirado. Ao tentar manusear o equipamento, os fiscais o teriam danificado. O aparelho foi comprado há três anos, no valor de R$ 6,4 mil.

Segundo Lourival, o Inep se comprometeu a cobrir todas as despesas com a manutenção aparelho quebrado ou aquisição de um novo aparelho auditivo, caso haja necessidade.

“Lógico que aquilo desestabilizou meu filho, a nota dele será prejudicada por isso sim. Ele ficou muito triste, mas ele tem um psicológico muito bom, conversamos com ele e, infelizmente, esse tipo de coisa acontece, mas ele foi muito corajoso em enfrentar tudo isso e tocar em frente”, afirma o pai.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora