Em S.Bárbara, homem agride companheira com garrafa de pinga

Mulher sofre de paraplegia, acondroplasia e mielite transversa; Santa Bárbara teve ainda outras duas ocorrências da Lei Maria da Penha


Três casos de violência doméstica foram registrados no último fim de semana em Santa Bárbara d’Oeste. Em um deles, um carpinteiro de 39 anos foi preso após desferir golpes com uma garrafa de aguardente em sua companheira, que é paraplégica e possui acondroplasia – condição genética relacionada à baixa estatura. Nos outros dois registros, as mulheres foram agredidas por seus respectivos companheiros e registraram boletim de ocorrência.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Em um dos casos, homem foi preso no Plantão Policial de Santa Bárbara após não pagar a fiança

Na madrugada desta segunda-feira (7), a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de violência doméstica na Rua Irlanda, no Jardim Europa. Um homem de 39 anos havia agredido sua companheira, que reside no mesmo local, após uma discussão.

Segundo o registro da ocorrência, ele a acertou com dois golpes com uma garrafa de pinga, causando um corte na testa da vítima. Ela foi encaminhada ao Pronto-Socorro Dr. Afonso Ramos, teve o ferimento suturado, foi medicada e liberada para repouso em sua residência. Ela afirmou aos policiais que sofre de acondroplasia (condição genética relacionada à baixa estatura e alteração dos ossos), paraplegia (não consegue sentir ou movimentar as pernas) e mielite transversa (inflamação na medula espinhal), e que por isso utiliza fraldas geriátricas.

O carpinteiro, que alegou estar alcoolizado, foi preso em flagrante, com a fiança estipulada em R$ 1 mil. O indiciado relatou aos policiais militares que não queria que nenhum parente fosse chamado ao plantão policial e disse ainda não ter interesse em que a fiança fosse paga. Com isso, ele foi encaminhado para a cadeia de Sumaré.

Outros casos

Outra residência no Jardim Europa também teve um caso de violência envolvendo um casal. Uma auxiliar de limpeza de 44 anos foi agredida por seu marido no início da noite deste domingo (6), na Rua Portugal. No registro da ocorrência, ela afirma que após uma discussão por motivos familiares, levou socos, chutes e ainda sofreu uma tentativa de sufocamento de seu companheiro.

A vítima saiu correndo pelo bairro à procura de ajuda e foi seguida pelo agressor – que portava um pedaço de madeira. A auxiliar de limpeza foi socorrida por uma colega de igreja e encaminhada ao Pronto-Socorro Dr. Afonso Ramos, onde foi medicada.

Já na manhã do último sábado (5), uma barbarense de 20 anos denunciou aos policiais militares que levou tapas e que teve o pescoço apertado pelo rapaz com quem vive há seis anos. Segundo o boletim de ocorrência do caso, as agressões foram cometidas por volta das 9h30, na Rua Olímpia Amaro da Silva, no Santa Rita de Cassia. A vítima acrescentou que não é a primeira vez que é agredida fisicamente pelo companheiro, mas que não o denunciou nas situações anteriores.

Nas duas ocorrências, as mulheres foram informadas sobre a lei 11.340/06, que prevê prazo de seis meses para que a vítima ofereça uma representação contra o acusado para que ele seja investigado, e sobre a possibilidade de solicitar medidas protetivas na Justiça.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!