22 de abril de 2021 Atualizado 18:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde

Despesa com saúde cresce 22% em ano de pandemia em Santa Bárbara

Melhorias estruturais, hospital de campanha e contratação de temporários foram as justificativas

Por Leonardo Oliveira

26 fev 2021 às 07:28 • Última atualização 26 fev 2021 às 09:12

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) elevou em 22,8% as despesas diretas da Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste com a área da saúde em 2020. Os gastos subiram de R$ 146,9 milhões em 2019 para R$ 180,4 milhões no ano passado na cidade.

Os dados foram apresentados durante audiência pública nesta quinta-feira, que trouxe os dados do 3º quadrimestre de 2020, assim como o consolidado de todo o exercício.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Durante o encontro virtual, a secretária de Saúde, Lucimeire Rocha, atribuiu a subida nos gastos com saúde ao combate à Covid-19.

“Hospital de campanha, os anexos [dos prontos-socorros Edison Mano e Afonso Ramos], a gente teve todo um remanejamento, um processo que nós tivemos que nos adequar, como alguns equipamentos que a gente não usava no dia a dia”, disse a secretária sobre o tema.

Ainda estão inclusos nos gastos a contratação de servidores temporários para atender nas unidades médicas, as horas-extras realizadas pelos profissionais e atestados concedidos.

Santa Bárbara ainda investiu 32,1% do que arrecadou em impostos e tributos em ações ligadas à saúde, mais do que o dobro dos 15% exigidos por lei. Ao todo, foram R$ 110 milhões em investimentos nessa área.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Durante a audiência, a secretária usou esse dado para cobrar mais repasses por parte do Governo do Estado, dirigindo sua fala aos vereadores que acompanhavam.

“É a gente pressionar enquanto saúde e vocês enquanto Legislativo, para que o Estado saia um pouco da inércia. Ele aplica em saúde 12%, todo ano. Ele não passa um centavo [disso], enquanto nós, que teríamos que aplicar 15%, estamos aplicando 32%”, afirmou.

Em nota, o Governo do Estado afirmou que os recursos para a saúde sempre foram superiores aos 12% exigidos constitucionalmente e que Santa Bárbara e outros municípios são impactados pela ausência do Governo Federal no financiamento do SUS.

“Santa Bárbara reporta 20 leitos de UTI no Hospital homônimo, e nenhum deles está habilitado pelo Ministério. Mais de R$ 20,2 milhões repassados pelo Governo diretamente aos municípios da região de Campinas somente neste ano também com foco na pandemia. Houve recurso de R$ 1,4 milhão para custeio de 10 leitos de UTI para Santa Bárbara, com envio também de 10 respiradores”, ressalta a nota.

Publicidade