23 de Maio de 2020 Atualizado 11:54

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Curado, advogado relata estigma e medo de não estar imune ao coronavírus

Marcel Guarda Breviglieri, de 27 anos, morador de Santa Bárbara, recebeu nesta semana o diagnóstico de cura

Por Marina Zanaki

01 Maio 2020 às 16:38 • Última atualização 01 Maio 2020 às 17:44

O advogado Marcel Guarda Breviglieri, de 27 anos, morador de Santa Bárbara d’Oeste, está curado do novo coronavírus (Covid-19). O diagnóstico foi recebido no início desta semana, após cumprir o período de 14 dias de isolamento social e não apresentar mais nenhum sintoma.

Apesar do alívio de vencer a doença, Marcel contou que ainda há situações para lidar relacionadas à Covid-19.

Advogado relatou comportamento diferente das pessoas que encontra, mas não se arrepende de ter divulgado seu caso – Foto: Reprodução / Facebook

A primeira delas é o estigma da doença, que provoca uma pandemia mundial. Ele aponta que após publicar um depoimento no Facebook sobre o diagnóstico positivo, recebido no dia 14 de abril, recebeu muitas mensagens de apoio.

Contudo, a exposição teve seu lado negativo. Ao encontrar conhecidos dentro das poucas atividades que está realizando, como ir ao mercado e ao escritório quando necessário, observou um distanciamento.

“Apesar de curado, as pessoas têm receio de ter contato. Entendo que é por desconhecimento, não por maldade”, avaliou.

“A gente percebe pelo olhar, diferente de como me olhavam antes e como olham hoje, a gente sabe quando tem um certo receio. Não é um preconceito, mas seria assim: tem uma pessoa contaminada próxima de mim, ou que passou por aqui”, contou.

“Mas é normal acabar acontecendo isso, vivemos um momento de desespero, de alarmismo”, afirmou.

Apesar desse aspecto, ele avalia de forma positiva ter exposto seu caso. Marcel ouviu de diversas pessoas que não estavam levando a doença a sério e passaram a acreditar em sua circulação no interior a partir de seu depoimento.

“Me perguntavam se eu tinha viajado, ido para São Paulo”, lembra. “As pessoas só veem números, não sabem quem são os contaminados”.

IMUNIDADE
O advogado teve sintomas por cerca de três dias. “O problema da Covid-19 que as pessoas não sabem é que quando você está contaminado, tem medo dos sintomas piorarem gradativamente. Se aquela febre, aquela dor de cabeça, aquele um pouquinho de falta de ar vai evoluir”, lembra.

Como trata-se de uma doença nova, a Covid-19 ainda é cercada de incertezas. A imunidade dos pacientes curados é uma delas.

Até o momento, as pesquisas apontam que pessoas que desenvolveram anticorpos estão protegidas contra uma cepa da doença. A imunidade a longo prazo, bem como a imunidade de pessoas assintomáticas ou quadros leves, ainda está sendo estudada.

Por via das dúvidas, Marcel segue tomando medidas de proteção e de isolamento social.

“Estou tomando cuidado redobrado, porque a gente não sabe se quem pegou uma vez não pega mais, se estou totalmente imune. Estou tomando os mesmos cuidados que tomaria se não tivesse sido infectado”, afirmou.

Santa Bárbara d’Oeste tem 12 casos positivos de coronavírus, dos quais seis pacientes estão curados, um morreu e os demais seguem em isolamento domiciliar.