Criança é encaminhada ao Conselho Tutelar após suspeita de abandono

Menina passou por exames e não foi constatada nenhuma violência; homem disse que o pai da criança pediu que cuidasse dela enquanto trabalhava


Foto: Arquivo / O Liberal
Caso foi registrado no Plantão Policial de Santa Bárbara d’Oeste

Uma criança de três anos foi encaminhada ao Conselho Tutelar de Santa Bárbara d’Oeste após ter sido encontrada sob os cuidados de um pedreiro, de 61 anos, que estava embriagado. O homem, que consta como procurado no regime aberto, estaria com a menina para que o pai dela fosse trabalhar, segundo informações prestadas à Polícia Civil. Ela passou por exame no Pronto-Socorro Edson Mano e no Hospital Santa Bárbara, onde foi constatado que não passou por nenhum tipo de violência. Contudo, o Conselho Tutelar a encaminhou até a casa de acolhimento da cidade porque avaliou que ela se encontrava em condição de vulnerabilidade, sem comer e sem tomar banho.

Segundo o boletim de ocorrência, a criança foi levada pelo pedreiro e um amigo para a residência da namorada deste último, uma dona de casa de 62 anos. Ao ver que a menina estava com os dois, e que a dupla estava embriagada, a mulher acionou a Polícia Militar. Ao chegar no endereço fornecido, na Rua Sorocaba, os policiais encontraram as partes e as levaram até o Plantão Policial.

Na delegacia, o pedreiro contou versões contraditórias do porquê estaria com a criança. Inicialmente ele afirmou que havia encontrado a menina abandonada na Rodoviária de Campinas há cerca de 15 dias e que eles moravam dentro de seu carro. Na sequência, ele disse que estava cuidando da criança a pedido do pai dela, para que ele pudesse ir trabalhar na construção civil. A mãe da menina seria uma garota de programa que trabalharia em Campinas, ainda de acordo com ele.

O pai da criança foi chamado e confirmou que havia pedido para o amigo cuidar da filha. Ele disse ainda que está separado da mãe da criança, apesar de ainda não ter ocorrido a separação judicial, e explicou que atualmente possui a guarda da menina.

Diante das informações desencontradas, o Conselho Tutelar foi acionado e encaminhou a menina até a casa de acolhimento do município até que haja alguma decisão judicial sobre o assunto, que será cuidado pela Vara da Infância e Juventude do município. O caso foi registrado no Plantão Policial às 23h15 de quinta-feira.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!