Confirmada primeira morte por dengue em Santa Bárbara

A aposentada Maria Ferreira dos Santos, de 74 anos, morreu no dia 3 de maio


Foto: Reprodução
Maria Ferreira dos Santos, de 74 anos, morreu em 3 de maio

O Instituto Adolfo Lutz e a Vigilância Epidemiológica de Santa Bárbara d’Oeste confirmaram nesta sexta-feira, 14, que a morte da aposentada Maria Ferreira dos Santos, de 74 anos, ocorreu em decorrência de dengue tipo 2, mas que o caso mas não se trata de dengue hemorrágica. Essa classificação, no entanto, permanece em avaliação, de acordo com a nota divulgada pela prefeitura.

A moradora do Jardim Europa morreu no último dia 3 de maio, após passar por atendimento médico no PS (Pronto-Socorro) Edson Mano. Já o resultado laboratorial do segundo caso suspeito na cidade, o de Eliane Fantausse Pereira, 43 anos, foi negativo para dengue, descartando possibilidade da doença.

Esse é o primeiro caso confirmado de morte por dengue em Santa Bárbara d’Oeste e o terceiro registrado na RPT (região do Polo Têxtil) em 2019. Em Americana, a vítima foi V. L. S. A., uma moradora do bairro São Roque, de 48 anos, que morreu em abril. Já o outro caso aconteceu no dia 10 de maio, com uma adolescente de 15 anos.

As duas vítimas morreram de dengue hemorrágica do tipo 2, considerado mais agressivo por alguns especialistas e que voltou a circular no Estado de São Paulo após mais de dez anos sem registros.

ATENDIMENTO. Segundo a atendente Janete Santos, de 46 anos, filha de Maria, a idosa procurou atendimento no Pronto-Socorro Afonso Ramos no domingo anterior (dia 28 de abril), onde fez um exame de sangue, recebeu diagnóstico de dengue e foi liberada. Como seu estado piorou, a idosa passou por um médico particular na quarta-feira, que indicou internação.

Ela foi atendida no Pronto-Socorro Edson Mano no mesmo dia, onde ficou internada, mas precisava de transfusão de sangue pois estava com anemia, procedimento que segundo Janete não poderia ser feito no pronto-socorro.

De acordo com a filha, a idosa morreu aguardando uma vaga no Hospital Santa Bárbara. “O laudo da morte da minha mãe, na ocasião, foi de morte indeterminada. Ela estava vomitando sangue. Ficamos esperando uma vaga para internação em vão”, disse. À época, a prefeitura foi procurada para comentar a reclamação da família, mas não respondeu.

CASOS. A RPT registrou 6531 casos de dengue desde o início do ano, segundo os boletins mais atualizados divulgados pelas prefeituras. Americana lidera o número de notificações, com 2856 casos confirmados. Na sequência aparece Sumaré, com 1450 pessoas infectadas, e Santa Bárbara d’Oeste, com 1199. Nova Odessa tem 549 casos positivos e Hortolândia 477.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora