Barbarenses caem em golpe da falsa dívida e perdem R$ 25 mil

Estelionatários se passam por atendentes de banco, cobram dívida que não existe e pedem a senha dos cartões para que o cancelamento seja feito


Dois barbarenses caíram no golpe da falsa dívida e perderam cerca de R$25 mil nesta terça-feira (21), no município. Nele, supostos atendentes de banco ligam questionando uma dívida com a empresa. Após a negativa, pedem a senha dos cartões das vítimas para o cancelamento. Ambos os casos foram registrados no plantão policial.

Foto: Divulgação
Estelionatários se passam por atendentes de banco, cobram dívida que não existe e pedem a senha dos cartões para que o cancelamento seja feito

O modus operandi descrito nas ocorrências indica que os casos tenham relação. As duas vítimas afirmam que após fornecimento da senha, a “atendente” envia um suposto representante do banco para recolher os cartões na casa de ambos. Tanto a professora de 47 anos, quanto o aposentado de 71, que caíram no golpe, descreveram que esse “funcionário” tem estatura média, é branco e dirige uma moto vermelha.

Somente a professora perdeu R$ 20 mil na ação criminosa. Ela recebeu uma ligação na tarde desta terça-feira de uma mulher que dizia ser da central de segurança de uma loja, perguntando se a vítima havia feito uma compra em Niterói-RJ no valor de R$ 1.298,96 e tentado sacar R$ 350.

Ao dizer que não, a “atendente” informa que o cartão foi fraudado e recomenda que a professora ligue na central de cartões do banco para cancelá-lo – ela fornece um número telefônico. No contato,
a mulher passa a combinação de todas as suas contas para que o procedimento seja realizado.

Na ligação, um homem que se identifica como Fabrício ressalta ainda a necessidade da vítima levar os cartões para São Paulo e que, diante da impossibilidade, enviaria um funcionário de nome Thiago Silva para recolhê-los em sua residência. Depois de entregar os cartões, a mulher recebeu uma mensagem do Itaú informando cinco compras feitas em mais de R$ 20 mil.

A professora ainda deu a “Fabrício” o número e a senha de duas contas de um outro banco para que o ressarcimento da falsa cobrança indevida fosse feito. Depois de perceber o golpe, ela foi até o plantão policial para registrar um B.O.

Um aposentado de 71 anos passou por situação semelhante. Ele foi questionado sobre uma compra de R$ 3.850,00 feita no cartão de crédito em um estabelecimento de Guarulhos. Diante da negativa, o mesmo procedimento adotado na fraude anterior é repetido – e ele perde R$ 3.980,00.

Criminosos ainda tentaram enganar uma outra professora, de 47 anos. Ela recebeu uma chamada com o mesmo teor, e forneceu o código numérico das contas, mas se recusou a dar seu cartão de crédito ao homem que chegou em sua residência. Os três crimes aconteceram e foram registrados nesta terça-feira, em Santa Bárbara.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora