30 de maio de 2020 Atualizado 17:49

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Após se reunir com proprietários de academias, Denis Andia mantém fechamento

Prefeitura fala em “consenso” e trabalha em estudo conjunto para futura reabertura

Por André Rossi

14 Maio 2020 às 18:19 • Última atualização 14 Maio 2020 às 18:23

A prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste vai seguir as determinações do Estado e manter academias e salões de beleza fechados durante a quarentena de combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A decisão foi tomada após reunião na quarta-feira (13) com 21 proprietários de academia da cidade. No entanto, a informação só foi divulgada nesta quinta-feira (14).

Prefeitura e academias vão trabalhar em protocolo para futura reabertura – Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste / Divulgação

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, houve consenso de que os estabelecimentos devem permanecer fechados. A ideia durante o período é elaborar conjuntamente um protocolo de segurança para a futura retomada das atividades. Entretanto, isso só acontecerá quando o houver “entendimento” entre os governos federal e estadual.

A possibilidade de reabrir surgiu na segunda-feira (11) com a publicação do decreto do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que incluiu o segmento como essencial. A liberação cabe aos Estados e municípios, segundo entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal).

Na quarta-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou que não vai autorizar a reabertura desses segmentos. A justificativa é de que ainda não há condições sanitárias para garantir a retomada “com segurança”.

“Não estamos no papel de acompanhar este ou aquele, mas de adotar medidas que visam proteger os profissionais e seus clientes, e com isso resguardar a saúde coletiva do barbarense. Nesse sentido, dialogar e apresentar os dados e a situação atual em relação ao vírus na cidade é algo fundamental para a tomada de decisão”, afirmou Denis.

As cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) optaram por seguir as restrições impostas pelo Estado. Apesar disso, a decisão em Americana foi tomada a contragosto, já que o Comitê de Crise da Covid-19 acredita ser possível a reabertura.