22 de janeiro de 2021 Atualizado 22:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Aedes aegypti

Ações de combate a dengue em SB eliminam 472 focos de mosquito

Foram identificadas em laboratório 3.679 larvas de Aedes aegypti e 171 larvas de Aedes albopictus em 2020

Por Natália Velosa*

03 jan 2021 às 07:53 • Última atualização 03 jan 2021 às 09:46

As ações de combate a dengue em Santa Bárbara d’Oeste durante o ano de 2020 eliminaram 472 focos de Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela urbana.

Também foram identificadas em laboratório 3.679 larvas de Aedes aegypti e 171 larvas de Aedes albopictus – outra espécie de mosquito que tem potencial em transmitir doenças.

foram identificadas 3.679 larvas de Aedes aegypti e 171 larvas de Aedes albopictus – Foto: Divulgação

As ações, realizadas por meio de agentes da Secretaria de Saúde, promoveram 251.403 visitas nas casas durante todo o ano.

Conforme identificado pela Secretaria, o criadouro mais comum foi a preservação d’água feita pelas pessoas de forma desprotegida em tambores, barris, baldes e caixas d’água, além de outros focos comuns, como vasos de planta, pneus, potes, latas e frascos descartáveis.

Os agentes também realizam a retirada de possíveis criadouros detectados nos imóveis, visitas quinzenais a Pontos Estratégicos (como ferros-velhos, borracharias, recicladoras, cemitérios) e visitas a imóveis especiais (imóveis com grande circulação de pessoas, como escolas, templos religiosos, Unidades Básicas de Saúde, Shoppings e Hospitais).

As ações educativas realizadas ao longo de todo o ano em cronograma específico aconteceram de forma online, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Cuidados
A prefeitura orienta as pessoas a eliminarem todos os possíveis criadouros de mosquito, pois é a única medida eficaz de prevenção. Vale ressaltar ainda que a população receba os agentes de controle de endemias, porque eles têm informações importantes sobre medidas simples que podem prevenir doenças graves.

Caso a pessoa apresente febre alta, dor de cabeça e manchas no corpo, deve procurar a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima. Em caso de dúvidas, entrar em contato com a Divisão de Controle de Vetores do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), pelo telefone (19) 3463.8099.

*Estagiária, sob supervisão de Guilherme Magnin.

Publicidade