Criança pode ter contraído febre maculosa em Americana

Vigilância Epidemiológica está tratando o caso como importado, já que o pai da criança costumava pescar em locais considerados de risco


Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Vigilância Epidemiológica está tratando o caso como importado, já que o pai da criança costumava pescar em locais considerados de risco

A Secretaria de Saúde de Limeira confirmou ontem, a primeira morte por febre maculosa no município. A vítima é um menino de quatro anos. A criança faleceu no dia 20 de maio, mas o exame confirmando a causa da morte só saiu no dia 20 de junho. A Vigilância Epidemiológica está tratando o caso como importado, já que o pai da criança costumava pescar em locais considerados de risco, inclusive em Americana, e teria levado os carrapatos transmissores da doença para casa.

Apenas neste ano, Limeira teve doze notificações da doença. A morte do menino foi a primeira notificação confirmada. Outras quatro estão aguardando resultado de exames e as demais já foram descartadas pela Vigilância Epidemiológica. A família da criança reside no bairro Santa Eulália. Carrapatos foram encontrados na residência, mas o local não é considerado área de risco. Segundo a Prefeitura de Limeira, o fato reforça que a contaminação foi cruzada. A investigação apontou que os carrapatos foram levados para casa através do pai do menino, que frequentemente pescava em áreas consideradas de risco em Americana. Ele e os demais membros da família estão saudáveis.

Além de Limeira, Santa Bárbara d´Oeste também já confirmou uma morte pela doença em 2018. A vítima foi um homem de 38 anos, que residia no bairro Parque do Lago. Ele faleceu no dia 7 de junho, no pronto-socorro Edson Mano. Entre as cidades da região, Americana é a que concentra o maior número de mortes por febre maculosa. Já são sete casos no município. A última vítima foi um homem de 37 anos, residente no bairro Antonio Zanaga.

Além dele, os exames já confirmaram a doença como causa da morte de uma menina de sete anos, também do Zanaga; de um homem de 23 anos, morador no Jardim São Paulo, que teve como local provável de infecção um pesqueiro em Nova Odessa; um homem de 53 anos, do São Vito; um morador da Vila Bela, de 60 anos; e duas pessoas que residiam no Antônio Zanaga, sendo um homem de 59 anos e um outro de 65. Esses quatro últimos costumavam pescar às margens do Rio Piracicaba, próximo ao Casarão do Salto Grande. O local é uma das 15 áreas consideradas de risco no município.

Doença
A capivara é o principal hospedeiro do carrapato estrela, agente transmissor da febre maculosa. Os principais sintomas da doença são: febre de início súbito, dor de cabeça e nas articulações, manchas e lesão na pele. O tratamento é feito com antibióticos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!