Vírus tipo 2 da dengue circula na RPT após atingir 100 municípios

Retorno reforça a preocupação com a doença, já que aumenta o risco de pessoas contraírem a sua forma mais grave


O vírus tipo 2 da dengue, que até outubro havia sido encontrado em 100 cidades do Estado, chegou à RPT (Região do Polo Têxtil). Segundo informações da Prefeitura de Americana, a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) confirma a presença. Há 10 anos, essa variação do vírus não circulava em território paulista. O seu retorno reforça a preocupação com a dengue, já que aumenta o risco das pessoas contraírem a forma mais grave da doença.

Foto: Venilton Kuchler - Anpr
ndice mostra que foram poucos os locais onde os agentes encontraram larvas do mosquito Aedes aegypti em Americana no ano

O monitoramento da tipagem de vírus é feito pelo DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas. Neste ano, de janeiro a novembro, Americana registrou 16 casos de dengue. Em 2017, foram 18 casos confirmados. Segundo informações da Prefeitura, nenhum dos casos foi causado pelo tipo 2. Na epidemia de 2015, 9.039 pessoas contraíram a doença na cidade. O vírus predominante foi do tipo 4.

Como ao contrair dengue a pessoa adquire imunidade somente ao vírus causador da doença, caso entre em contato com o tipo 2 há possibilidade desenvolver a dengue hemorrágica, a forma mais grave da enfermidade. Em todo o Estado, a doença voltou a crescer em 2018. No ano passado, foram 6.269 registros. Neste ano já foram confirmados 9.181 diagnósticos.

Além de monitorar a tipologia do vírus em circulação pelas cidades paulistas, o trabalho preventivo da Secretaria de Estado da Saúde também inclui a preparação dos médicos para a rápida constatação da doença. A rapidez é fundamental para evitar seu avanço no organismo e salvar a vida do paciente, especialmente nos casos de dengue hemorrágica.

O controle local cabe aos municípios. Em Americana, o último Índice de Breteau foi realizado em outubro deste ano, cuja marca foi de 0.5, o que demonstra baixa infestação. Nesse caso, o índice mostra que foram poucos os locais onde os agentes encontraram larvas do mosquito Aedes aegypti. Esse índice também serve para direcionar as ações desenvolvidas em cada área.

Americana fecha contratação de empresa

A Prefeitura de Americana anunciou a homologação de uma licitação para contratar a empresa Sime Prag do Brasil para combater o mosquito da dengue, da chicungunha e zika vírus. O valor a ser investido é de R$ 528 mil por seis meses de trabalho. A empresa já foi contratada para combater a dengue em 2016.

O dono da Sime Prag, Danilo Felipe Franco, disse que não sabe quando o serviço vai começar. Segundo ele, vai depender da “pressa” da prefeitura. O contrato ainda precisa ser assinado, de acordo com Franco. A prefeitura informou que está realizando as transações burocráticas e que, por isso, não há data para início.

Segundo o edital, a empresa deverá combater o mosquito Aedes aegypti por meio de visitas e vistorias em imóveis, controle químico, nebulização, telamento de caixas d’água e limpeza de calhas.

A meta é “trabalhar” 40 mil imóveis por mês. A empresa vai fornecer mão de obra, transporte dos funcionários e equipamentos de proteção. A equipe precisa trabalhar de segunda a sexta, oito horas por dia, de acordo com o termo de referência.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!