26 de novembro de 2020 Atualizado 19:04

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Vacinação

Vacinação contra pólio fica abaixo da meta e liga alerta na região

Cobertura na região varia de 21% a 56%, menor que meta de imunizar 95% das crianças com menos de 5 anos

Por Marina Zanaki

21 out 2020 às 07:55 • Última atualização 21 out 2020 às 13:52

A Secretaria do Estado da Saúde de São Paulo convocou pais e responsáveis para a campanha de vacinação contra poliomielite. A campanha segue até o próximo dia 30 e tem como objetivo vacinar a população de crianças com menos de 5 anos.

Cobertura na região varia de 21% a 56% – Foto: Prefeitura de Nova Odessa / Divulgação

O alerta ocorreu diante da baixa adesão da população. No Estado, ainda é preciso vacinar mais de 1,6 milhão de crianças e a cobertura está em 21% do público-alvo, inferior à meta de 95%. Na RPT (Região do Polo Têxtil) a cobertura aparece abaixo da expectativa.

Em Santa Bárbara d’Oeste, a ação está em 56%. A Secretaria de Saúde barbarense avalia que, até o momento, a adesão à campanha permanece abaixo do esperado pelo receio das pessoas de comparecerem às unidades de saúde na pandemia. A cidade vacinou 1.711 crianças entre um ano e menores de cinco anos.

Nova Odessa aplicou 563 doses da gotinha. O público-alvo da campanha no município é estimado em 2.645 crianças, portanto a cobertura vacinal está em 21%.

Sumaré informou que, até o momento, foram vacinadas 4.535 crianças na campanha contra poliomielite. Isso corresponde a cerca de 31% da meta, que é de 95%.

A Secretaria de Saúde de Sumaré avalia que a baixa adesão pode estar relacionada à falta de informação.

“Não podemos comparar com anos passados, pois desde 2014 não tínhamos campanha com vacina contra poliomielite indiscriminada como tem sido. Então, temos baixa adesão pois em anos passados todas as campanhas foram seletivas, não havendo necessidade de crianças com a carteirinha de vacina em ordem receber a dose como nesta campanha, fazendo com que as mães possam não ver a necessidade de levar seus filhos aos postos de saúde”, analisou a pasta.

No Estado, ainda é preciso vacinar mais de 1,6 milhão de crianças – Foto: Prefeitura de Hortolândia / Divulgação

A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, calcula cobertura de 28% do público-alvo e informa que 7.445 crianças ainda precisam ser imunizadas. “O fato pode ser reflexo da pandemia da Covid-19, que causou receio nas famílias em expor os filhos em unidades de saúde, possibilitando contato com outras pessoas fora do contexto familiar”, afirmou a prefeitura nesta quarta-feira.

A Prefeitura de Americana disse que não conseguiria responder ontem.

O Brasil não identifica casos desde 1990, mas a doença ainda circula em dois países – Paquistão e Afeganistão. “No entanto, as coberturas vacinais municipais ainda são heterogêneas, podendo levar a formação de bolsões de pessoas não vacinadas, possibilitando a reintrodução do poliovírus”, alertou o Ministério da Saúde.

Publicidade