Suspeito de chefiar quadrilha de combustível é preso

Quadrilha investigada pela Polícia Civil furtava combustível diretamente de dutos da Petrobras; cinco pessoas estão foragidas


A Polícia Civil de Campinas deflagrou nesta quarta-feira a “Operação Opasa”, com ações em Americana, Nova Odessa, Cosmópolis e Arthur Nogueira. Um homem suspeito de chefiar uma quadrilha que furtava combustível diretamente de dutos da Petrobras foi preso e cinco pessoas estão foragidas – uma delas seria moradora de Americana, segundo o delegado Leonardo de Oliveira Bürguer. A Polícia não tem informações de qual o prejuízo causado à estatal.

A operação foi realizada pelo 11° DP (Distrito Policial) de Campinas, com apoio do helicóptero Pelicano. As investigações tiveram início a partir de um flagrante do furto de combustível em junho no Jardim Londres, em Campinas. Na ocasião, dois foram presos. Em seguida, um outro local foi descoberto, desta vez no Jardim Nossa Senhora de Lourdes, na mesma cidade. Foi constatado que os bandidos adotavam o mesmo procedimento para praticar o crime.

Foto: Divulgação
Barracão em Cosmópolis onde funcionava entreposto dos bandidos

Segundo o delegado, a quadrilha alugava uma casa próxima de onde passava um duto de combustível. Os criminosos cavavam um túnel até atingir o duto e o perfuravam para retirar o produto.

Os policiais encontraram nesta quarta-feira um barracão na Rua Expedicionário, no Bela Vista, em Cosmópolis, que era usado como entreposto de combustíveis. Apesar de o imóvel estar vazio, existiam elementos que indicavam a finalidade desse espaço dentro do esquema criminoso.

Foram apreendidos diversos equipamentos usados pela quadrilha para furar os dutos e remover o combustível. A Polícia Civil encontrou um cabo de solda do tipo mig; objetos de preparação; discos de corte; acoplagem de mangueira, entre outros.

Os mandados de busca também resultaram na apreensão de computadores e celulares, que devem auxiliar nas investigações.

O delegado não descarta que a quadrilha conte com mais membros na região. Em nota, a Petrobras se disse vítima de ações criminosas e que colabora com o Ministério Público e a polícia nas investigações.

“A maior preocupação da companhia é a segurança das famílias vizinhas às instalações, pois intervenções criminosas podem trazer riscos para a comunidade, como incêndios e explosões. Sempre que identificar cheiro de combustível ou qualquer movimentação suspeita na faixa de dutos ou em terrenos próximos, a comunidade pode entrar em contato com a Transpetro, subsidiária da Petrobras, pelo telefone 168. A ligação é grátis e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana”, completa empresa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!