RPT registra um atropelamento de animal por dia em rodovias

Apenas neste ano 120 animais foram atingidos nas rodovias Anhanguera, Bandeirantes e também na SP-304 (Luiz de Queiroz)


Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Na SP-304 (Rodovia Luiz de Queiroz), o DER informa que foram 52 animais atropelados de janeiro até ontem

O atropelamento de uma onça parda na Rodovia dos Bandeirantes, no trecho de Santa Bárbara d’Oeste, na manhã da última terça-feira, expôs uma triste realidade nas estradas que cortam a região. Apenas neste ano, 120 animais foram vítimas de atropelamentos nas rodovias SP-330 (Anhanguera), SP-348 (Bandeirantes) e SP-304 (Luiz de Queiroz). Em média, um animal foi atropelado por dia desde o início do ano na região.

Os dados são da CCR AutoBAn, concessionária responsável pelo sistema Anhanguera-Bandeirantes e DER (Departamento de Estradas de Rodagem). Apenas no sistema sob a responsabilidade da CCR AutoBAn, no trecho que passa pelas cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) – Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d´Oeste, Sumaré e Hortolândia, foram 68 atropelamentos entre janeiro e março.

Na Rodovia SP-304, do km 120 ao 160 (da Anhanguera até Piracicaba), o DER informa que foram 52 animais atropelados de janeiro até esta quinta-feira. Todos os acidentes envolvendo animais soltos são de responsabilidade do dono, segundo informaram AutoBAn e DER.

“É importante ressaltar que a responsabilidade civil e criminal por acidente envolvendo animal é do proprietário do mesmo. Também reforçamos que não cabe à concessionária o conserto de cercas de propriedades particulares”, disse a AutoBAn em nota.

O DER, órgão ligado ao Governo do Estado, reforça que é proibido o tráfego de animais soltos, sem o acompanhamento dos proprietários, nas rodovias estaduais. Quando há o flagrante, viaturas removem os animais ao Centro de Zoonoses ou local apropriado mais próximo.

O órgão estadual também destaca a responsabilidade do proprietário do animal em caso de acidentes. “Caso fique comprovado culpa ou força maior, o dono ou detentor do animal ressarcirá os danos causados. Os proprietários poderão ainda ser responsabilizados criminalmente”, informou comunicado do departamento.

CONSCIENTIZAÇÃO. A AutoBAn informa que o resgate dos animais das pistas é feito por uma equipe de 140 colaboradores que atuam diretamente neste trabalho. A concessionária destaca que a equipe também atua na educação ambiental das comunidades sob sua influência a fim de contribuir para a preservação da fauna e da flora regional.

Na tentativa de reduzir os acidentes envolvendo animais, ela informa ainda que promove campanhas sobre a guarda responsável de animais para conscientizar as comunidades do entorno do Sistema Anhanguera-Bandeirantes.

“Essas campanhas são permanentes e, sempre que um animal (bovino ou equino) é recolhido, seu proprietário é devidamente orientado a mantê-lo em espaço restrito, e com a respectiva cerca sempre em bom estado para evitar fugas”. Quanto aos animais domésticos (cães e gatos), a concessionária diz que ajuda na conscientização promovendo a guarda responsável.

Em relação aos animais silvestres, a concessionária mantém, em parceria com a Mata Ciliar, o programa Guardiões da Mata. Nele, todo animal silvestre encontrado às margens das rodovias é encaminhado para a ONG para reabilitação e a reintegração.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!