RPT realiza Dia D da campanha contra sarampo

Atualmente, o país está em campanha contra a doença promovendo a atualização da caderneta; público-alvo são crianças entre seis meses e cinco anos


Foto: Marcelo Rocha/O Liberal
Dia D contra sarampo mobilizou serviço de saúde neste sábado

O Dia D da campanha de vacinação contra sarampo mobilizou 48 unidades de saúde da RPT (Região do Polo Têxtil) neste sábado. Atualmente, o país está em campanha contra a doença promovendo a atualização da caderneta. O público-alvo são crianças entre seis meses e cinco anos.

Enfermeira responsável pelo posto de saúde do Jardim São Paulo, em Americana, Mariana Beraldo explicou que a abertura das unidades neste sábado teve como objetivo principal atender os pais que não conseguem levar os filhos de segunda a sexta-feira.

“Durante a semana estamos com um bom índice de vacinação, a ideia é que hoje seja para quem tem uma vida mais corrida. Mas a maioria (que procura o posto) já está vacinado”, explicou a profissional.

Esse foi o caso do vendedor Thiago Bega, de 33 anos. Ele aproveitou o sábado para levar a pequena Alice, de cinco anos, até o posto de saúde. Na unidade, descobriu que como a filha já havia recebido as duas doses recomendadas, estava com a imunização em dia e não precisaria receber nenhuma outra dose. “Vim verificar se precisa realmente tomar, porque está um surto”, disse o vendedor.

O Ministério da Saúde recomenda duas doses da vacina contra sarampo, a primeira quando a criança completa um ano e a segunda aos 15 meses. Por conta do retorno da circulação do vírus, a pasta federal determinou que crianças a partir dos seis meses recebam a chamada “dose zero”. São essas três doses que estão sendo aplicadas durante a campanha.

No caso dos menores de seis meses e que ainda não podem receber o imunizante, a orientação é que a família se proteja. Foi essa a estratégia da estagiária Monica David, de 22 anos, para garantir a proteção do filho Davi.

“Eu e meu namorado tomamos (a vacina) porque estamos com neném de dois meses. Como ele (pai) viaja bastante a trabalho, a gente ficou preocupado. Quem traz doença para neném é a própria família. Por isso meus pais e meus sogros também se protegeram”, contou a jovem.

VERBA
O Ministério da Saúde anunciou nesta semana a liberação de R$ 206 milhões para serem investidos pelos municípios em Atenção Primária e Vigilância à Saúde. Para conseguir o recurso, os municípios vão precisar cumprir duas metas.

A primeira é vacinar 95% das crianças com até cinco anos contra sarampo até o mês de novembro. A segunda é informar à Secretaria Estadual de Saúde os estoques das vacinas de poliomielite, tríplice e pentavalente. A verba será de R$ 1 per capita de acordo com a população municipal.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora