Região tem dez mortes com suspeita de dengue desde o começo do ano

Hortolândia investiga duas mortes com suspeita de febre maculosa e leptospirose; Instituto Adolfo Lutz recebeu material


As cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) tem dez mortes com suspeita de dengue desde o início do ano. O número aumentou depois que a Prefeitura de Hortolândia divulgou, nesta segunda-feira, que investiga se a doença foi responsável pela morte de dois moradores do município. Houve o envio de material para o Instituto Adolfo Lutz, com suspeita ainda para febre maculosa e leptospirose.

A Secretaria de Saúde do município foi questionada sobre gênero, idade e região onde moravam esses pacientes que morreram, bem como se ficaram internados. Contudo, a prefeitura respondeu que não divulga esses dados até a confirmação da doença com o objetivo de evitar criar “alarde” junto à população. O município tem 288 casos confirmados de dengue e outros 1.039 aguardam resultado.

Estão sendo investigados ainda outras seis mortes em Americana e duas em Santa Bárbara d’Oeste. Dentre as vítimas, há moradores do São Domingos, Vila Dainese, Frezzarin, Cariobinha, São Roque e Santa Maria, em Americana. As duas mulheres de Santa Bárbara d’Oeste que morreram com suspeita da doença moravam no Jardim Europa e Cidade Nova 2.

A primeira morte suspeita foi registrada em 10 de abril, e até o momento o Instituto Adolfo Lutz não enviou o resultado do exame. A Prefeitura de Americana disse que há uma sobrecarga na leitura dos exames a serem processados no laboratório, e não há uma previsão sobre quando serão enviados.

Nesta segunda, o prefeito Omar Najar (PMDB) esteve reunido com representantes de diversas secretarias para discutir ações integradas de combate à doença. Ficou definido que serão realizadas atividades educativas e de orientação tanto junto aos alunos da rede municipal quanto ao público que buscar atendimento nas repartições públicas.

ESTADO

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde confirmou, até março, 29 mortes relacionadas à dengue. A diretora do Departamento Regional de Saúde 7 – Campinas e ex-secretária de Saúde de Americana, Mirella Povinelli declarou em março que a pasta está monitorando o número de mortes provocadas por dengue por conta da circulação do tipo 2 da doença, considerado mais agressivo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora