26 de fevereiro de 2021 Atualizado 01:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Previdência

Região fecha 2020 com 5,7 mil pessoas na fila do INSS

Sumaré é a cidade da RPT com o maior número de pendências de segurados; Americana vem em seguida

Por Heitor Carvalho

08 fev 2021 às 07:14 • Última atualização 08 fev 2021 às 09:59

Cerca de 5,7 mil requerimentos estão pendentes nas agências da Previdência Social da RPT (Região do Polo Têxtil), segundo dados obtidos pelo LIBERAL junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Os números são referentes a 2020.

Na região, Sumaré é a campeã com número de pendências de segurados (1.558), seguida por Americana (1.494), Hortolândia (1.454), Santa Bárbara d’Oeste (950) e Nova Odessa (293).

Os dados contemplam o número de processos em análise do INSS de aposentadorias, pensões por morte, benefícios assistenciais e salário-maternidade, entre outros, mas não inclui o auxílio-doença.

O instituto também divide os pedidos em “pendentes à espera do INSS” (segunda coluna da tabela) e “pendentes à espera do segurado” (terceira coluna da tabela). Veja abaixo:

Tabela mostra quantas pessoas da Região do Polo Têxtil aguardam na fila no INSS – Foto: INSS / Divulgação

A advogada Michelli Azanha Campanholi, presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Santa Bárbara d’Oeste, listou três motivos para o grande número de pendências: reforma da previdência, pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e queda no número de funcionários do INSS.

“É um número muito expressivo de pendências, porque a demanda é muito grande hoje. Isso vem desde a reforma (da previdência), porque muita gente, na época, entrou com o pedido de aposentadoria por medo da reforma. Em 2020, com a pandemia, as agências são todas fechadas, o que piora ainda mais a situação”, afirma.

Michelli também explica que, com a pandemia, além do aumento de pessoas doentes, novos desafios foram impostos aos beneficiários do INSS, que muitas vezes são idosos ou tem alguma dificuldade locomotora, entre outras dificuldades.

“O INSS tentou, nesse período de pandemia, atender essa demanda, principalmente nos benefícios por incapacidade, através de análises remotas, etc. O problema é que, muitas vezes, a população que necessita desse auxílio não consegue juntar a documentação necessária digitalmente. Muitos não estão acostumados com o mundo digital”, explica.

Além das dificuldades tecnológicas impostas pela pandemia, a advogada também menciona a falta de uma equipe em número suficiente para atender a demanda que vem dos beneficiários.

“Ao meu ver, a tendência é isso piorar. Quem faz a solicitação entra uma fila nacional e o INSS não tem funcionários suficientes. O INSS recentemente fez um acordo com o MPF para prorrogar de 45 para 90 dias de análise dos pedidos. Na prática isso afeta muito as pessoas, principalmente nos casos de benefício por incapacidade”, conclui.

O que fazer?
No primeiro caso, a pessoa deve apenas aguardar a análise do pedido por parte do instituto, enquanto que, no segundo, o INSS aguarda que o requerente cumpra uma exigência feita pelo instituto, como, por exemplo, a apresentação de algum documento faltante.

Nesse último caso, a pessoa pode consultar e/ou cumprir a exigência pelo site oficial do INSS, pelo aplicativo Meu INSS, disponível para Android e iOS, ou pelo telefone 135, sem precisar se deslocar a uma agência.

Basta selecionar a opção “Agendamentos/Solicitações”, clicar no ícone de lupa do processo, selecionar “Cumprir exigência” e anexar os arquivos. Por fim, é só clicar em “Confirmar” e, caso queira, é possível escrever a respeito dos documentos no campo “Responda aqui”.

No vídeo acima, você pode acompanhar um passo a passo do cumprimento de exigência pelo Meu INSS. Na semana passada, o INSS estreou seu canal no Youtube, com vídeos explicativos sobre diversos serviços do Instituto.

Outra opção é agendar, pelo aplicativo ou pelo telefone 135, a entrega de cópia da documentação, que pode ser depositada numa urna na entrada das agências do INSS (serviço Exigência Expressa).

Nesse caso, é necessário depositar na urna cópias simples, legíveis e sem rasuras, que não serão devolvidas. Depois de escaneadas e inseridas no sistema, elas vão ser destruídas e, por isso, não devem ser entregues documentos originais.

Em último caso, a pessoa também pode agendar, também pelo telefone ou pelo aplicativo, para cumprir a exigência de forma presencial numa unidade de atendimento.

No entanto, durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as agências do INSS estão atendendo apenas alguns serviços e com horário agendado. O atendimento nas unidades também estão sendo feito em horário reduzido, das 7h às 13h. Essas medidas foram tomadas pelo INSS para evitar aglomerações.

Publicidade