17 de janeiro de 2021 Atualizado 10:11

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Região avança para a fase verde do Plano SP, diz prefeito de Campinas

Governador João Doria já havia adiantado que todo o Estado de São Paulo deveria progredir para a fase verde na reclassificação desta sexta

Por Marina Zanaki

09 out 2020 às 11:50 • Última atualização 09 out 2020 às 11:58

A DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas, do qual a Região do Polo Têxtil faz parte, vai passar à fase verde do Plano São Paulo. A informação foi adiantada pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizetti (PSB), em vídeo publicado em sua página do Facebook.

O anúncio oficial será feito durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, marcada para as 12h45 desta sexta-feira.

“Quero agradecer a população, a colaboração. Estamos em pandemia, ainda não acabou a pandemia. Mas já confirmado a Região de Campinas na fase verde no Plano São Paulo”, anunciou o chefe do Executivo campineiro.

Campinas na fase verde.

Publicado por Jonas Donizette em Sexta-feira, 9 de outubro de 2020

O governador João Doria (PSDB) já havia adiantado, em evento ocorrido em Hortolândia, que todo o Estado de São Paulo deveria progredir para a fase verde na reclassificação desta sexta-feira.

O infectologista André Giglio Bueno, da PUC-Campinas, analisou que os indicadores da pandemia (casos, óbitos e internações) estão em desaceleração. Com isso, ele afirmou ao LIBERAL que acreditava que a região alcançaria os critérios para avanço de fase.

A fase quatro é a penúltima dentro do plano econômico da quarentena do Plano São Paulo. Enquanto as fases até a amarela caracterizam-se por restrições e flexibilizações, a partir da verde considera-se que há uma reabertura parcial das atividades.

Entre as principais mudanças em relação à fase amarela estão a ampliação da capacidade máxima dos estabelecimentos de 40% para 60%; autorização para restaurantes e praças de alimentação em áreas que não sejam ao ar livre ou arejadas; fim da restrição de oito horas para funcionamento do comércio e shoppings.

Academias de esportes e centros de ginástica deixam de precisar de agendamento prévio, com a suspensão da proibição de aulas em grupos.

Em eventos e atividades culturais, passa a ser autorizado público em pé, além da ampliação para 60% da capacidade.

Publicidade