22 de abril de 2021 Atualizado 21:32

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

SEM ACORDO

Professores da Unimep recusam proposta em assembleia e mantêm paralisação

IEP propôs ceder imóvel como garantia, mas oferta não atendia reivindicações

Por Rodrigo Alonso

27 fev 2021 às 15:47 • Última atualização 02 mar 2021 às 11:05

Os professores grevistas da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) rejeitaram na noite desta sexta-feira (26), em assembleia virtual, a última proposta feita pelo IEP (Instituto Educacional Piracicabano) para que a paralisação fosse encerrada. Diante da situação, a greve, que foi iniciada em novembro de 2020, está mantida.

A informação é da presidente do Sinpro (Sindicato dos Professores de Campinas e Região), Conceição Fornasari. O instituto havia proposto a cessão de um imóvel da Rede Metodista como garantia de que as verbas em atraso seriam quitadas.

A oferta foi recusada pelos docentes porque não contemplava a pauta de reivindicações que levou à greve, alterava o dia do pagamento de salários e não apresentava um cronograma de pagamento dos valores devidos referentes a 2019 e 2020, entre outros motivos, segundo Conceição.

De acordo com a sindicalista, a assembleia reuniu pelo menos 60 professores dos campus de Lins, Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste. Procurada pela reportagem, a Unimep ainda não se manifestou sobre o desfecho da reunião.

Os docentes alegam atrasos nos salários e descumprimento dos direitos trabalhistas desde meados de 2019. Há uma série de disciplinas e cursos que não encerraram o ano letivo de 2020 por esse motivo.

Na próxima quarta-feira (3), às 14 horas, a Câmara de Piracicaba vai promover uma reunião pública sobre a crise vivida pela universidade.

O Legislativo também determinou, na última quinta, a retomada das atividades do Fórum de Defesa da Unimep, cuja finalidade é discutir problemas relacionados à instituição e sugerir medidas à direção da universidade. O fórum reúne vereadores, sindicalistas, membros de associação, vereadores e um representante do corpo discente.

Em nota enviada na noite de segunda-feira (1º), a Unimep informou que não foi oficialmente notificada sobre a recusa da proposta. “A Instituição só se posicionará oficialmente após essa formalização e o recebimento de contraproposta elaborada pelos representantes dos docentes”.

Crise
A Unimep tem enfrentado problemas financeiros na última década. Em entrevista concedida ao LIBERAL no início deste semana, o reitor Ismael Forte Valentim informou que a instituição perdeu 6 mil alunos nos últimos três anos e meio.

No auge, a universidade chegou a ter 14 mil estudantes – hoje, são 2 mil matriculados. O campus de Santa Bárbara, que já reuniu cerca de 2,5 mil estudantes, estava só com cerca de 200, segundo o reitor.

Por isso, a Unimep anunciou o fechamento do campus Santa Bárbara, com a desativação dos cursos de engenharia e arquitetura. Ao todo, foram encerrados cerca de 30 cursos em Piracicaba e Santa Bárbara.

Publicidade