21 de maio de 2022 Atualizado 21:14

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região

Prefeituras se mobilizam para acolher moradores de rua após previsão de frio

Com queda de temperatura esperada para a próxima semana, serviços de acolhimento emergencial e abrigos serão implantados

Por Rodrigo Alonso / Maria Eduarda Gazzetta

14 Maio 2022, às 09h59 • Última atualização 16 Maio 2022, às 08h27

No ano passado, Fundo Social de Solidariedade recebeu doações, o que também acontece em 2022 - Foto: Marcelo Rocha - O Liberal - 29.7.2021

Com previsão de frio intenso para a próxima semana, as prefeituras da RPT (Região do Polo Têxtil) se mobilizam para acolher a população em situação de rua.

Em Americana, a prefeitura anunciou nesta sexta que, na próxima terça, vai iniciar um serviço de acolhimento emergencial na Casa de Passagem da Obra de Imaculada – Rua Carlos Gomes, 155, no Centro. O espaço vai oferecer jantar, banho e pernoite.

Há lugar para 40 pessoas. Os respectivos animais de estimação também serão acolhidos pelo local, que deve manter o trabalho até meados de setembro, segundo a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Juliani Hellen Munhoz Fernandes.

Caso a demanda exceda as vagas, a prefeitura deixará à disposição o abrigo na Praia Azul, que pode acolher até 60 pessoas – Rua Pará, 315.

O Fundo Social de Solidariedade vai concentrar o recebimento, a partir desta segunda, de doações de alimentos, agasalhos, colchão, travesseiro, lençol, fronha, meias, chinelos, toalhas, produtos de higiene, de limpeza, roupa íntima nova, entre outros itens.

O local fica na Rua das Poncianas, 930B, Jardim Glória. Se preferirem, as pessoas podem fazer as doações diretamente na Casa de Passagem.

As ações têm apoio das instituições Vinde à Luz e Fraternidade Guardiões da Imaculada.

REGIÃO. Além de Americana, outros municípios já anunciaram a implantação de abrigos temporários para moradores em situação de rua. A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste comunicou que vai reativar o Ginásio Vereador José Salves, no Jardim Pérola.

O município conta ainda com outras três casas de acolhimento. A ação começa a partir de segunda-feira e segue até dia 30 de setembro.

A Prefeitura de Hortolândia disse que vai disponibilizar 40 vagas para moradores em situação de rua no Instituto Esperançar, no Remanso Campineiro, onde vai funcionar o abrigo provisório. Outras 20 vagas serão disponibilizadas na Casa de Passagem, na Vila Real.

Já em Sumaré, a ação acontece o ano todo e os interessados são encaminhados à Casa de Acolhimento Resgatar, no bairro Chácara Estrela D’alva, que tem parceria com a prefeitura, ou para o Alojamento Provisório, no Jardim Alvorada.

Em Nova Odessa, a administração informou que a ação é constante. Em reunião nesta sexta, os órgãos responsáveis definiram que os moradores serão atendidos e abrigados, temporariamente, na ONG Casa Mais, no Jardim Santa Luíza.

Publicidade