11 de julho de 2020 Atualizado 16:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Campinas

Polícia prende trio suspeito de assalto em Viracopos

Um dos homens apresentava um ferimento à bala na perna, o que pode ser resultado do confronto com policiais durante o assalto

Por Agência Estado

21 out 2019 às 21:17 • Última atualização 22 out 2019 às 07:49

Foto: Luciano Claudino - Código19 - Agência Estado
As prisões foram efetuadas por uma equipe do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar, após denúncia anônima

Três suspeitos de participação no assalto a um carro-forte no terminal de cargas do aeroporto de Viracopos foram presos no início da noite desta segunda-feira, 21, em Campinas, interior de São Paulo. Com eles, foram apreendidas uma metralhadora, uma pistola e drogas, além de uma quantia de R$ 14 mil em dinheiro. Um dos homens apresentava um ferimento à bala na perna, o que pode ser resultado do confronto com policiais durante o assalto, que ocorreu na quinta-feira, 17.

As prisões foram efetuadas por uma equipe do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar, após denúncia anônima. Os homens estavam no apartamento de um condomínio, no Parque Jambeiro. Não houve resistência. Conforme a PM, o local tinha um sofisticado sistema de monitoramento remoto.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

O imóvel está alugado para a irmã de um dos suspeitos, que não estava no imóvel. Os homens negaram participação no assalto, mas, segundo a PM, deram versões controversas sobre sua presença no local. Os três suspeitos seriam encaminhados à delegacia da Polícia Federal em Viracopos, que investiga o assalto.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Assalto teve três suspeitos mortos e reféns

Na manhã da última quinta-feira, uma quadrilha fortemente armada invadiu o terminal de cargas do aeroporto e atacou um carro da Brinks, levando malotes com dinheiro. Os bandidos incendiaram caminhões sobre a rodovia Santos Dumont para facilitar a fuga. Houve perseguição e tiroteios. Três criminosos foram mortos e ao menos dez fugiram. Dois vigilantes da Brinks, um major da PM e uma mulher tomada como refém também ficaram feridos. Os malotes com dinheiro foram recuperados.