02 de julho de 2022 Atualizado 08:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Crimes

Polícia Civil esclarece três homicídios cometidos em Santa Bárbara e Americana

Um homem de 26 anos, suspeito de ser o autor dos homicídios está preso preventivamente; corpos das vítimas foram encontrados em 15 de fevereiro

Por Paula Nacasaki

23 de junho de 2022, às 20h52 • Última atualização em 24 de junho de 2022, às 14h10

Três homicídios ocorridos em fevereiro deste ano, em Santa Bárbara d’Oeste e em Americana, foram esclarecidos pela Polícia Civil por meio do SIG (Setor de Investigações Gerais) e do IC (Instituto de Criminalística). Na época do crime, os corpos foram abandonados nos dois municípios.

Um homem de 26 anos, suspeito de ser o autor dos homicídios, está preso preventivamente. A informação foi revelada com exclusividade ao LIBERAL nesta quinta-feira (23), pelo delegado titular de Santa Bárbara, Antônio Donizete Braga.

Antônio Donizete Braga é o delegado responsável pelo caso – Foto: Arquivo / O Liberal

As vítimas foram executadas com tiro a curta distância. Afonso Silva de Souza e Matheus Breendel Santana da Cunha, ambos de 26 anos, foram encontrados no dia 15 de fevereiro, com ferimentos na cabeça, na Rua Guaratinguetá, no Jardim Esmeralda, em Santa Bárbara, eles chegaram a ser socorridos e levados para unidades de saúde, mas não resistiram aos ferimentos e morreram.

No mesmo dia, a terceira vítima, Willian Lopes Pereira, de 30 anos, foi encontrado sem vida em uma estrada de terra, na continuação da Rua Florindo Cibin, no Parque da Liberdade, em Americana.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Na época, as investigações já apontavam para a mesma autoria, uma vez que os modos de execução eram semelhantes, as vítimas se conheciam e o crime aconteceu no mesmo dia.

De acordo com o delegado, desde fevereiro, a polícia buscava elementos para esclarecer o triplo homicídio qualificado. A identificação do autor foi possível por meio de uma testemunha, que ouviu disparos, e também por imagens de câmeras de estabelecimentos comerciais, que flagraram o carro do suspeito, um Hyundai Sonata preto, passando por ruas próximas de onde os crimes foram cometidos.

Séries, filmes, games, quadrinhos: conheça o Estúdio 52.

O mandado de prisão temporária foi cumprido no dia 18 de Maio e o suspeito está preso desde então. No dia 15 deste mês, a prisão foi convertida em preventiva.

Já o carro utilizado no dia do crime foi apreendido e passou por perícia. Os resultados apontaram a presença de muito sangue no banco traseiro, onde provavelmente Willian foi executado. Na porta havia vestígios de pólvora e marcas de dois disparos, que só foram encontradas pela perícia, já que o suspeito tinha realizado o conserto das partes danificadas.

Fãs de literatura têm espaço reservado no LIBERAL

As marcas na porta também eram compatíveis com os projeteis retirados dos crânios das vítimas, apontando que os tiros foram efetuados da mesma arma, que ainda não foi localizada.

“Periciados os projéteis retirados do corpo das três vítimas fatais, conclui-se que todos foram disparados pelo cano da mesma arma de fogo, evidenciando-se a correlação entre os crimes”, traz trecho da denúncia do Ministério Público.

Segundo investigação, Willian foi morto após uma briga de bar e Afonso e Matheus foram mortos depois dele, pois tinham testemunhado a execução do amigo.

Filosofias do cotidiano no blog da Alessandra Olivato.

O suspeito de ser autor dos disparos era conhecido das vítimas e, no dia do crime, ambos frequentaram estabelecimentos comerciais, comprando inclusive bebidas alcoólicas. Uma segunda pessoa, ainda não identificada, estava no carro nesse dia.

Celulares
Mesmo preso, o investigado estaria coagindo testemunhas e familiares das vítimas a não colaborarem com as provas. De acordo com o processo, as ameaças foram por ligações telefônicas e mensagens. Quatro celulares foram apreendidos na cela do suspeito e os aparelhos serão periciados.

A advogada que representa o suspeito, Sandra Fernandes Manzano, foi procurada para comentar a prisão e as acusações sobre os celulares, mas afirmou que no momento não se manifestará.

Publicidade