05 de junho de 2020 Atualizado 22:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Coronavírus

Paulínia cria ala isolada para tratar pacientes com sintomas

Unidade conta com um médico clínico, pediatra, equipe de enfermagem e uma enfermaria subdividida para atendimento adulto, pediátrico e de gestantes

Por Leonardo Oliveira

03 fev 2020 às 10:28 • Última atualização 03 fev 2020 às 19:18

Com dois casos suspeitos do coronavírus, Paulínia criou neste sábado uma ala separada para os pacientes que tiverem os sintomas da doença em seu Hospital Municipal. A medida, anunciada neste domingo pela prefeitura, se baseia em orientações da OMS (Organização Municipal da Saúde) e faz parte de um plano de contingência para síndromes respiratórias.

Foto: Prefeitura de Paulínia/Divulgação
Ala foi inaugurada neste sábado

A Unidade Respiratória para Pronto Atendimento conta com um médico clínico, pediatra, equipe de enfermagem e uma enfermaria subdividida para atendimento adulto, pediátrico e de gestantes. O local tem recepção, salas de espera, de emergência e de isolamentos.

“Nosso plano foi elaborado para que possamos abordar todos os pacientes com queixas clínicas gripais e rapidamente diagnosticar possíveis casos com história epidemiológica para coronavírus”, comentou o médico Vinicius Moraes Mariano, coordenador do pronto-socorro.

Um comitê gestor foi criado pela administração para tomar as decisões relativas à doença. O homem de 45 anos e a mulher de 30 anos, ambos suspeitos de estarem infectados com o coronavírus, continuam em isolamento domiciliar com quadro de saúde estável.

Comitê

Nesta sexta-feira, o governo do Estado anunciou criação do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública Estadual para desenvolver ações preventivas para o coronavírus e medidas para atendimento de casos suspeitos, além da aquisição de kits para diagnosticar a doença.

Na região, o Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas, já anunciou um plano para lidar com as suspeitas da doença.

Americana

A Secretaria de Estado da Saúde monitora, desde a última sexta-feira, uma suspeita de coronavírus em Americana. O paciente é uma criança de três anos, do sexo masculino, e que apresenta febre, coriza e dor de garganta e, por ter viagem recente à China, foi classificado como caso suspeito.

O que é

O novo coronavírus é um vírus ligado a um surto de pneumonia na China. A maioria dos casos está na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, epicentro do surto. Os primeiros registros notificados, no final de dezembro, eram de trabalhadores e frequentadores de um mercado de peixes do município.

O vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção. Os sinais e sintomas clínicos do novo coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias, com febre, tosse e dificuldade para respirar.

Foto: Editoria de arte / O Liberal
O vírus do coronavírus pode ficar incubado por duas semanas

Formas de prevenção

- Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas.
- Lavar as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente.
- Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
- Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.
- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
- Manter os ambientes ventilados.
- Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.
- Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.