Operação mira integrantes do PCC na região

Estão sendo cumpridos mandados em Americana, Hortolândia e Santa Bárbara d’Oeste; ação faz parte de operação nacional contra facções criminosas


Uma operação foi deflagrada nesta terça-feira (4) em todo o País com o objetivo de desarticular seis facções criminosas que atuam em diferentes regiões. No Estado de São Paulo, estão sendo cumpridos 59 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão de integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital). Na RPT (Região do Polo Têxtil), estão sendo realizadas ações em Americana, Hortolândia e Santa Bárbara d’Oeste. Até a publicação desta reportagem, quatro homens foram presos na região.

Foto: Polícia Militar / Divulgação
Ação mira integrantes do PCC e outras cinco facções criminosas no país

A operação, que segue em andamento, está sendo realizada pelas polícias Civil e Militar, em articulação do GNCOC (Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas) – colegiado que reúne os Gaecos (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de todo o País.

De acordo com os militares, dois homens presos em Americana possuíam antecedentes de tráfico de drogas e organização criminosa. Um detido em Santa Bárbara d’Oeste tinha passagens anteriores por tráfico de drogas e o outro por três roubos. No total, 22 policiais militares da Força Tática da região estão mobilizados na operação.

FACÇÕES

Além do PCC, estão sendo presos integrantes das facções Comando Vermelho (CV), Terceiro Comando Puro (TCP), Amigo dos Amigos (ADA), Primeiro Comando de Vitória (PCV) e Okaida RB.

As operações acontecem, simultaneamente, nos Estados do Acre, Alagoas, Espírito Santo, Paraíba, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, bem como no Distrito Federal. O Ministério Público nos Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul também realizam diligências e prisões.

Ao todo, estão sendo cumpridos 262 mandados de prisão e 200 de busca e apreensão no País. Em Tocantins, ainda está sendo feita uma inspeção na Casa de Prisão Provisória de Palmas, com a finalidade de apreender armas, drogas, explosivos, aparelhos de comunicação móvel e cadastros de faccionados.

“O Ministério Público brasileiro, por meio do GNCOC e dos Gaecos, vem adotando medidas eficientes no desmantelamento e prisão dos principais líderes das facções criminosas presentes em território nacional. É uma luta baseada na inteligência e com foco na desestruturação desses organismos criminosos violentos. Vamos vencer, tenho certeza disso”, declarou Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, procurador-geral de justiça de Alagoas e coordenador do Grupo Nacional.

Com informações da assessoria de imprensa do Ministério Público.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!