25 de Maio de 2020 Atualizado 23:38

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Região

No Dia das Mães, a RPT tem pior isolamento para um domingo

Menor índice neste domingo foi observado em Santa Bárbara d’Oeste, com apenas 49%; Americana teve 51% de isolamento.

Por Marina Zanaki

11 Maio 2020 às 17:34 • Última atualização 11 Maio 2020 às 17:35

Várias lojas abriram na véspera do Dia das Mães em Americana e Santa Bárbara, mas nenhuma multa foi aplicada - Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

O isolamento social no Dia das Mães caiu para o menor nível para um domingo nas cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) desde o início da quarentena.

Nesta segunda-feira, o governador João Doria (PSDB) voltou a cobrar adesão à quarentena durante coletiva de imprensa.

Ele lembrou que a flexibilização depende diretamente de situações que serão influenciadas pelo isolamento – queda no número de casos durante 14 dias e ocupação de leitos em até 60%.

O menor índice neste domingo foi observado em Santa Bárbara d’Oeste, com apenas 49%. Americana teve 51% de isolamento.

Cidade com mais casos positivos e maior número de mortos pela Covid-19, Hortolândia teve isolamento de 55%. Em Sumaré, a quarentena foi cumprida por 51% da população.

Os finais de semana têm registrado os índices mais altos de isolamento social no Estado de São Paulo. Na região, eles geralmente ficam acima de 50%.

Véspera do Dia das Mães, o sábado também registrou os menores índices desde o início da quarentena na região. O pior índice foi em Santa Bárbara – 46%. Até então, o isolamento mais baixo na cidade em um sábado havia sido de 49%.

O LIBERAL mostrou que diversas lojas em Americana e Santa Bárbara descumpriram a quarentena e ficaram abertas no sábado, com meia porta. Algumas permitiam a entrada de consumidores, restringindo o número de pessoas por vez.

O Dia das Mães é considerado a segunda melhor data para vendas no comércio, perdendo apenas para o Natal.

No Estado de São Paulo, o isolamento foi de 50% no sábado e 53% no domingo. O Comitê de Contingência do Coronavírus recomenda que os índices fiquem acima de 55%.

“Peço que todos façam esforço para manter isolamento. Se mantivermos média de 55%, dois pontos acima da média de ontem (domingo), nós poderemos flexibilizar a partir do término desta quarentena em 31 de maio. A flexibilização dependerá da adesão e participação do maior número possível de pessoas”, declarou o governador nesta segunda.

Os dados de isolamento social são levantados por meio do Sistema Inteligente de Monitoramento do Governo de São Paulo com informações das operadoras de telefone.