19 de janeiro de 2021 Atualizado 15:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

LUTO

Em Americana, morre o médico Plínio Zabeu, aos 87 anos

Natural de São Manuel (SP), Plínio foi o primeiro ortopedista de Santa Bárbara d’Oeste; morte se deu por causas naturais

Por André Rossi

03 dez 2020 às 22:54 • Última atualização 04 dez 2020 às 12:10

O médico ortopedista Plínio Zabeu morreu na tarde desta quinta-feira (3), em Americana, aos 87 anos. Um dos pioneiro em sua área de atuação na cidade, o profissional foi o primeiro ortopedista de Santa Bárbara d’Oeste e recebeu o título de cidadão barbarense em 2014.

Segundo seu filho, o médico José Luiz Zabeu, a morte se deu por causas naturais. Há cerca de três anos, Plínio teve um problema renal e apresentava um “enfraquecimento” na última semana.

Plínio Zabeu foi colaborador do LIBERAL por muitos anos – Foto: Arquivo Pessoal

O velório será realizado nesta sexta-feira (4) no Cemitério da Saudade, das 8h às 14h. Na sequência, o corpo será cremado em Limeira. Além da esposa, ele deixa o filho José e três filhas.

Nascido em São Manuel (SP), em 1933, Plínio se formou em 1962 pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo). Três anos depois, convidado por um amigo, começou a trabalhar em Americana como médico geral em plantões e depois como ortopedista.

Médico ortopedista tinha 87 anos – Foto: Arquivo Pessoal

Já em 1966, se tornou o primeiro ortopedista da história de Santa Bárbara d’Oeste. Ele realizava os atendimentos no pronto-socorro e também no Hospital Santa Bárbara, que acabara de ser inaugurado.

Em dezembro de 2014, Plínio recebeu o título de cidadão barbarense na câmara. A homenagem partiu do vereador e médico José Antonio Ferreira, o Dr. José (PSD).

“Doutor Plínio foi o primeiro ortopedista da cidade. E por muito tempo foi o único, atendendo a todos os pacientes com muita dedicação, presteza e por amor à profissão, porque sua missão é salvar vidas. Muitos barbarenses passaram pelas mãos dele no Hospital Santa Bárbara e no pronto-socorro da Santa Casa”, destacou Dr. José na época.

Em Americana, Plínio também trabalhou no Hospital São Lucas e colaborou por muitos anos com artigos para o LIBERAL.

Publicidade