Maioria das crianças não recebeu vacina da gripe

Grupo que engloba menores de 5 anos preocupa porque é mais suscetível à doença, de acordo com especialistas; campanha se encerra nesta sexta-feira


Na reta final da campanha de vacinação contra a gripe, menos da metade das crianças menores de 5 anos foi imunizada na RPT (Região do Polo Têxtil). A campanha termina sexta-feira e a procura é considerada baixa por prefeituras. O grupo dos pequenos é a principal preocupação, justamente por ser mais suscetível a complicações da doença.

“Tá bem baixa (a cobertura de crianças)”, diz Simone Maciel, coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Americana. Na cidade, apenas 39,9% das crianças com idade entre 6 meses e 4 anos, 11 meses e 29 dias foram vacinadas (4.331, de um total de 10.847), segundo dados atualizados no dia 1º deste mês. É a menor cobertura entre todos os grupos de risco. A meta, em todo Estado, é vacinar 90% da população-alvo.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Crianças menores de 5 anos devem receber a dose da vacina

Simone afirma que no ano passado aconteceu o mesmo. “Alguns pediatras às vezes não contraindicam a vacina, mas também não indicam, e a mãe fica muito assim: ‘ah, meu pediatra não falou nada’”, afirmou Simone. Entre todos os grupos de pessoas que podem tomar a vacina na rede pública, a cobertura está em 61,6% na cidade.

Em Sumaré, onde uma criança morreu neste ano por causa da gripe, a prefeitura tem ido vacinar nas escolas. Mesmo assim, apenas 41,2% dos pequenos receberam a dose. Em toda população-alvo, a cobertura é de 59,61%, segundo dados atualizados no último dia 8. A imunização de gestantes é menor ainda (34,7%), mas o grupo de crianças é bem mais numeroso (são 6.658 pequenos e 1.007 grávidas).

Em Santa Bárbara d’Oeste, foram vacinadas 40,38% das crianças e 36,52% das gestantes. Em todos os grupos de risco, a cobertura está em 61,38%. A prefeitura tem procurado grávidas nas salas de unidades de saúde e alertado os pais para que levem os filhos para receber a dose. Há nove casos suspeitos na cidade (nenhum resultou em morte), à espera de resultado de exames.

Em Nova Odessa, 31,52% das crianças e 32% das grávidas foram imunizadas, respectivamente. Em todos os grupos, a cobertura é de 59,96%. Entre os professores, por exemplo, 98% já foram vacinados.

Em Hortolândia, segundo dados do dia 7, 44,10% das crianças haviam sido imunizadas. Se sobrarem vacinas, a partir do dia 18 também poderão ser imunizadas pessoas entre 50 e 59 anos e crianças de até 9 anos, 11 meses e 29 dias. Em Americana, a enfermeira Ethel Lacava estima que será possível atender estes grupos. A vacina de 2018 irá prevenir contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!