07 de julho de 2022 Atualizado 12:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região

Lixo de Santa Bárbara é encaminhado para Americana

Proposta inicial era enviar os resíduos barbarenses para Piracicaba, como informou a prefeitura

Por Caio Possati

10 de maio de 2022, às 18h18 • Última atualização em 11 de maio de 2022, às 09h36

Americana passou a receber resíduos de Santa Bárbara em maio - Foto: Claudeci Junior / O Liberal

O lixo de Santa Bárbara d’Oeste, que não pode ser depositado no município por conta da interdição do Aterro Sanitário Municipal, na última quarta-feira, está sendo encaminhado a Americana. A informação é da própria prefeitura, que havia informado que os resíduos eram levados para Piracicaba, e recebidos pela empresa Piracicaba Ambiental S.A.

“A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste informa que com a interdição parcial do Aterro Sanitário Municipal, os resíduos coletados são encaminhados para a UTGR Ambiental Ltda, em Americana. O custo de descarte será equilibrado ao custo de operação do Aterro Sanitário, que devido à interdição terá o volume de serviços reduzidos”, declarou o Executivo.

A prefeitura foi questionada sobre a duração do contrato, mas não respondeu até o fechamento desta edição, porém, confirmou que o material está sendo encaminhado para Americana desde a última quinta.

Santa Bárbara está incapacitada de armazenar os próprios resíduos porque o aterro sanitário foi interditado pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

O órgão estadual interrompeu as atividades depois de multar a administração três vezes por operar o espaço com irregularidades – as penalidades geraram um custo de mais de R$ 125 mil aos cofres públicos -, e também por estar funcionando sem licenças ambientais necessárias. 

A administração quer ampliar a área do aterro para conseguir acomodar mais resíduos. Para isso, é necessário conseguir junto à Cetesb as licenças prévia, de instalação e operação. Os documentos também são necessários para liberar a operação atual.

Segundo a agência, o processo de licenciamento está em análise na diretoria de avaliação de impacto ambiental, mas a tramitação segue parada porque a Prefeitura de Santa Bárbara ainda precisa apresentar documentos.

DEBATE. Na sessão da câmara desta terça, os vereadores barbarenses debateram o assunto. A oposição criticou a gestão do ex-prefeito Denis Andia, citou reclamações de moradores por falta de coleta, e defendeu a ideia de convocar o secretário do Meio Ambiente, Cléber Canteiro, para explicações. Já a situação “blindou” o prefeito Rafael Piovezan (MDB) e o secretário, rejeitando o requerimento.

Recentemente, a Câmara de Americana votou para barrar uma emenda à Lei Orgânica, de autoria do vereador Gualter Amado (Republicanos), sobre o descarte de resíduos. A proposta proibia que o aterro da cidade recebesse lixo de outras cidades, mas não foi aprovada.

MUDANÇA DE ROTA. O LIBERAL tentou contato com a Piracicaba Ambiental S.A na última sexta e segunda-feira para ter mais informações sobre o contrato com Santa Bárbara, mas não conseguiu contato. Nesta terça, um representante da empresa entrou em contato com a reportagem e alertou que nenhum contrato foi assinado, e que Piracicaba não está recebendo os resíduos barbarenses.

Questionada, a assessoria da Prefeitura de Santa Bárbara confirmou a informação, e disse que a administração precisou recorrer a outra empresa pela falta de agilidade nos trâmites do acordo com Piracicaba.

Publicidade