Adiado júri de motorista que matou ciclistas em Limeira

Advogado de Hyoran Gabriel Alves de Oliveira, que atropelou e matou Diogo Cia de Faria e Márcio José Bechis, solicitou mudança por conflitos de agenda


O julgamento do técnico de informática Hyoran Gabriel Alves de Oliveira, de 21 anos, que atropelou e matou dois ciclistas na região em um acidente na Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), em Limeira, em julho de 2017, foi adiado de 10 de outubro para 31 do mesmo mês.

A mudança foi solicitada pelo advogado do réu, Mauro Atui Neto, e acatada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Limeira e do Júri da mesma comarca, Rogério Danna Chaib. O motivo é que o profissional já tem uma audiência marcado com outro cliente na mesma data.

Foto: Divulgação / Facebook
Diogo de Faria e Marcio Bechis foram atropelados por Hyoran Gabriel Alves de Oliveira

Hyoran vai à júri popular por homicídio com dolo eventual (quando uma pessoa assume o risco de cometer um crime, apesar de não desejar). Alcoolizado e sem habilitação, ele dirigia o carro que atingiu as bicicletas de Márcio José Bechis, de 47 anos, de Nova Odessa, e Diogo Cia de Faria, de 38, de Americana.

O técnico de informática ficou preso de julho de 2017 até março deste ano, quando o ministro Rogério Shietti Cruz, do STJ (Supremo Tribunal de Justiça), aceitou um pedido de habeas corpus.

O TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) acolheu em 3 de abril um recurso da defesa e excluiu do processo duas qualificadoras para o crime. Isso reduz a pena mínima a que ele pode ser condenado de 12 para seis anos de prisão.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora