10 de agosto de 2020 Atualizado 20:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Estação do ano

Inverno deve ser mais seco e quente que o normal, diz Cepagri

Região Metropolitana de Campinas deve ter entre 50 e 100 milímetros de chuva nos próximos meses; temperatura média deve ficar entre 1° e 1,5° acima da média histórica

Por Marina Zanaki

21 jun 2020 às 17:18 • Última atualização 21 jun 2020 às 17:40

O inverno teve início às 18h44 deste sábado (20). Segundo o Cepagri (Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura), da Unicamp, a estação deve ser mais seca e quente do que o normal.

De acordo com nota técnica publicada pelo Cepagri, o prognóstico indica que a RMC (Região Metropolitana de Campinas) deve registrar entre 50 e 100 milímetros de chuva nos meses de julho, agosto e setembro.

Com a chegada do inverno, temperaturas caem, mas neste ano ainda ficarão acima da média histórica – Foto: Arquivo / O Liberal

A média histórica para o período é de 134,5 milímetros.

Já a temperatura média deve ficar entre 1° e 1,5° mais elevada do que a média histórica.

“As probabilidades atribuídas às previsões de ambas variáveis é de aproximadamente 60%, o que é um valor elevado”, traz a nota do Cepagri.

O Centro ressalvou que não elabora previsão climática ou sazonal, “apenas divulga as previsões elaboradas pelos órgãos responsáveis no Brasil (INMET/CPTEC/FUNCEME) e por instituições internacionais”.

Segundo o Cepagri, a previsão está em acordo com o prognóstico internacionais.

O Internacional Reserach Instituto for Climate and Society apontou chuvas abaixo da média e temperaturas acima da média para o inverno.

Em Americana, as temperaturas máxima e mínima nesta segunda-feira (22) serão de 29° e 15°, segundo o portal Climatempo.

Na terça (22), a máxima será de 27° e a mínima de 15°. Não há previsão de chuva até a próxima quinta-feira (25).

SOLSTÍCIO
Entre sábado e domingo (21) ocorreu a noite mais longa do ano, chamada de solstício de inverno. Foram 13 horas e 16 minutos de escuridão.

Segundo o astrônomo Carlos Andrade, do OMA (Observatório Municipal de Americana), o fenômeno das estações acontece em razão da inclinação do eixo de rotação da Terra de 23° 27’ em relação ao plano da órbita.

Isso faz com que, nesta época do ano, os raios solares incidam menos sobre o nosso hemisfério e mais sobre o hemisfério norte.

A partir deste sábado, gradativamente os dias se tornarão mais longos e as noites mais curtas.

OUTONO
O outono 2020 teve chuvas abaixo da média histórica. A estação meteorológica do Cepagri, localizada em Barão Geraldo, em Campinas, registrou 11 dias com chuvas nos últimos três meses.

Em abril, a estação não registrou chuva. Isso nunca tinha ocorrido desde que as medições meteorológicas do Cepagri começaram, em 1989.

Até então, o abril com menor acumulado de chuva havia sido no ano 2000, com 4 milímetros.

Os termômetros ficaram 1° abaixo da média histórica tanto em abril quanto em maio. As temperaturas registradas foram, respectivamente, 22,2° e 19,1°.

Em junho, por outro lado, a temperatura média observada foi de 21,3°, cerca de 2,3° acima da média histórica. Os dados de junho foram coletados pelo Cepagri até o dia 17.

Podcast Além da Capa
O mais festejado dos cinco títulos mundiais da seleção brasileira? A resposta é subjetiva, depende da percepção de cada um. Independentemente disso, a conquista da Copa do Mundo de 1970, no México, completa 50 anos sem ter ameaçado seu lugar no Olimpo do futebol. O ambiente de Americana naqueles dias de junho pauta essa edição do Além da Capa. O editor Bruno Moreira conversa com o repórter Rodrigo Alonso, além de contar com a contribuição de convidados.