14 de setembro de 2021 Atualizado 10:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região

Interrupções de energia por pipas caem 21,7% na região

Foram 67 casos registrados em Americana em 2020 contra 33 em 2021; Sumaré e Hortolândia também registraram queda

Por Maria Eduarda Gazzetta

07 set 2021 às 09:06 • Última atualização 07 set 2021 às 09:11

CPFL explicou que muitas pipas ficam enroscadas nos fios e causam interrupções nos meses seguintes - Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal

Três das cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) apresentaram queda de 21,7% nas interrupções de energia causadas por pipas na comparação entre janeiro e julho de 2020 com o mesmo período de 2021. Os dados são da CPFL Paulista.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Os municípios de Hortolândia, Sumaré e Americana apresentaram queda nas interrupções de energia. Em Hortolândia, foram registradas 183 ocorrências em 2020 e, neste ano, 169. Em Sumaré, foram 177 casos no ano passado e no mesmo período deste ano, 132. Americana somou 67 casos em 2020 e nos primeiros sete meses de 2021, 33 ocorrências registradas.

“A queda nos números de interrupções causadas por pipas é resultado das ações da Campanha Guardião da Vida, que tem como objetivo levar conscientização dos riscos com a rede elétrica. No entanto, os resultados menores não deixam a companhia tranquila, o brinquedo segue entre as principais causas de perturbação do sistema elétrico, gerando transtornos e riscos à população”, comentou a CPFL.

A companhia explicou que muitas pipas ficam enroscadas nos fios e causam interrupções nos meses seguintes. “Isso ocorre porque a linha e a estrutura da pipa, enrolada nos cabos elétricos, se tornam condutoras de energia quando chove”.

AVANÇO. As duas cidades que vão na contramão dos outros municípios da região e que aumentaram os registros de interrupções de energia causadas por pipa foram Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa. Em 2020, foram 65 interrupções de energia registradas nos sete primeiros meses na cidade barbarense. Já no mesmo período em 2021, foram 83 ocorrências por pipas. Em Nova Odessa, houve 17 casos em 2020, e em 2021, 19.

Apesar da queda nas ocorrências, Hortolândia, Sumaré e Americana aparecem no ranking das 10 cidades paulistas com mais ocorrências de interrupções de energia causadas por pipa. Campinas lidera, seguida de Hortolândia e Sumaré.

Santa Bárbara também aparece em quinto lugar. Americana está no fim da tabela, ocupando o nono lugar dos municípios com maior número de casos.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

DICAS DE SEGURANÇA
A CPFL Paulista reforça para que as pessoas nunca busquem as pipas caídas em locais com equipamentos de energia, já que podem causar acidentes e até a morte.

  • Empine as pipas longe da rede elétrica, em locais onde não exista nenhum tipo de cabo de energia.
  • Dê preferência a espaços abertos para usar o brinquedo.
  • Evite soltar pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas ou rodovias.
  • Não use cerol ou a linha “chilena”, já que eles são proibidos por lei, e evite “rabiolas”, pois elas enroscam nos fios elétricos.
  • Não utilize papel alumínio na confecção da pipa, pois o material pode provocar curtos-circuitos.
  • Caso a pipa enrosque nos fios, não tente soltá-la.
  • Nunca tente resgatar ou remover uma pipa com canos, bambus, ou laçar o brinquedo na rede elétrica com uso de linhas.
  • Não solte pipas em dias de chuva, com incidência de raios.
  • Não suba em lajes das casas para empinar a pipa.

Publicidade