Instalação de pedágios na Rodovia SP-304 é inviável

Afirmação é de Cleiton Luiz de Souza, diretor da regional do DER, órgão que administra a via


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Como a rodovia tem muitas ligações com as cidades da região os pedágios estão descartados

É inviável a instalação de pedágios na Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304), o que inviabilizaria uma eventual concessão da pista à iniciativa privada. A afirmação é de Cleiton Luiz de Souza, diretor da divisão regional de Campinas do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), órgão que administra a via. Na opinião do engenheiro, existem muitas rotas de fuga que poderiam ser usadas se houvesse um pedágio na SP-304.

“Só vai para concessão se o pedágio puder pagar a concessão, tá certo?”, disse Souza ao LIBERAL na manhã desta terça, em Nova Odessa, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

O governo paulista prepara um novo pacote de concessões de rodovias à iniciativa privada. Segundo a Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo), devem ser concedidos cerca de 800km hoje sob gerenciamento do DER e da Centrovias. Porém, ainda não foram definidas quais serão as pistas privatizadas, segundo o órgão.

A SP-304 é a principal ligação entre Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa e Piracicaba. Frequentemente ela é alvo de críticas de usuários por causa das condições da pista. Apesar disso, a rodovia foi considerada boa em pesquisa da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), publicada no ano passado.

A pista da Luiz de Queiroz tem vários acessos para as cidades que a margeiam (que poderiam funcionar como as rotas de fuga citadas por Souza). A rodovia é usada até para deslocamentos dentro do mesmo município, como uma espécie de avenida.

“Eu acho que ali é muita fuga de pedágio, não tem como você pôr pedágio ali. Vamos supor, vai conceder ali e vai por um pedágio onde?”, questiona Souza.

A Artesp diz que as rodovias que integrarão o próximo programa de concessão ainda não estão definidas. “Os estudos para definição serão conduzidos pela Artesp e submetidos a consultas e audiências públicas em momento oportuno”, disse a Artesp, por e-mail.

As novas concessões fazem parte do projeto SP Roads II.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!