02 de dezembro de 2021 Atualizado 07:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Plano SP

Fase amarela vai durar do dia 2 de dezembro até 4 de janeiro

Mudança impõe restrição de público em uma tentativa do governo de São Paulo em frear o aumento de casos e internações

Por Marina Zanaki

30 nov 2020 às 17:08 • Última atualização 30 nov 2020 às 21:54

A regressão da região de Campinas da Fase Verde para a Fase Amarela do Plano São Paulo, anunciada nesta segunda-feira (30), passa a valer no dia 2 de dezembro. Ela estará em vigor em todo o Estado de São Paulo até o dia 4 de janeiro, quando está marcada a próxima reclassificação.

A alteração não determina o fechamento de estabelecimentos, mas promove uma restrição maior ao público em uma tentativa do governo de São Paulo em frear o aumento de casos e internações. Entenda o que muda.

A região de Campinas apresenta índices de 25,4 internações por 100 mil habitantes e 2,2 óbitos por 100 mil habitantes. No Estado, são 38,2 internações e 3,4 óbitos por 100 mil habitantes.

Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen explicou que a atual situação epidemiológica do Estado é semelhante ao final de setembro e início de outubro, período em que houve a variação entre as fases Amarela e Verde.

Ela ressalvou que 62 cidades – entre elas Americana, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré – estão com maior grau de alerta.

“Apesar da gestão ser regional, conseguimos localizar onde está o maior aumento de internações. Esses 62 municípios, se fosse classificação municipal, teriam classificação mais grave”, explicou. “Nossa expectativa é fica no amarelo menor tempo possível, mas para que isso aconteça todo mundo precisa colaborar”, finalizou a secretária.

Cronologia

Desde o dia 6 de outubro, a Grande São Paulo e as regiões da Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté estavam na fase verde, englobando 76% da população nessa fase.

Em relação a essas regiões, Campinas apresenta o segundo menor índice de internação e o segundo menor índice de óbitos, acima apenas dos indicadores de Piracicaba – 17,4 e 1,8, respectivamente.

No dia 16 de novembro, o Governo do Estado decidiu adiar a reclassificação que colocaria 89% do Estado na fase verde em função de instabilidades de dados do Ministério da Saúde.

“Os dados dos últimos dias sustentam a necessidade de políticas mais restritivas, que reduzem aglomeração e circulação de pessoas”, afirmou o Secretário de Saúde Jean Gorinchteyn. “Amarelo quer dizer atenção e respeito às regras sanitárias, evitando aglomerações, festas e encontros que estão levando o vírus a circular mais entre a população”, acrescentou.

Até o momento, as cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) não publicaram decreto regulamentando a alteração.

Veja como fica o funcionamento de atividades na fase amarela, segundo o Plano SP.

Shoppings centers

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Praças de alimentação (ao ar livre ou em áreas arejadas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Comércio

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Serviços

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Bares e restaurantes

  • Somente ao ar livre ou em áreas arejadas
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Consumo local até 17h
  • Consumo local até as 22h (se a região estiver a ao menos 14 dias seguidos na fase amarela)
  • Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos

Salões de beleza e barbearias

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Academias

  • Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Agendamento prévio com hora marcada
  • Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Eventos e convenções

  • Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela (apenas caso a região tenha avançado das fases laranja ou vermelha)
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados
  • Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas ou digitais, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento
  • Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo
  • Proibição de atividades com público em pé
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Publicidade