Falta de nomeações na Agemcamp ‘trava’ convênios

Agência Metropolitana de Campinas ficou sem diretor executivo entre janeiro e abril, e até agora não tem corpo técnico


O período em que a Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas) ficou sem diretor executivo e corpo técnico, entre janeiro e abril deste ano, atrasou o andamento de convênios em cidades da RPT (Região do Polo Têxtil).

A informação foi confirmada por prefeituras e pelo novo diretor executivo da agência, o ex-vereador americanense Antonio Carlos Sacilotto (PSDB), nomeado em 17 de abril. Entretanto, até agora a unidade ainda não conta com corpo técnico, o que faz com que não haja um prazo definido para regularizar os convênios.

Foto: Arquivo / O Liberal
Ex-vereador Antonio Carlos Sacilotto (PSDB) é o novo diretor

No dia 4 de janeiro, o governador João Doria (PSDB) exonerou Ester Viana do cargo de diretora executiva, assim como todo o corpo técnico. No final do mesmo mês, o Governo do Estado de São Paulo disse que um novo diretor executivo seria definido no primeiro trimestre.

A nomeação de Sacilotto só ocorreu em 17 de abril. Já o corpo técnico está pendente de nomeação. Uma das cidades que teve problemas foi Hortolândia. Dois convênios firmados via Agemcamp precisaram ser renegociados por conta da ausência da diretoria executiva.

“Eles (convênios) totalizam R$ 680 mil e dizem respeito à aquisição de um veículo para a Defesa Civil e de software de videomonitoramento. A renegociação já foi feita e a prefeitura aguarda a liberação dos recursos”, disse a prefeitura.

Já em Americana, um convênio para implementação do projeto de uma Academia ao Ar Livre na região do portal de entrada da cidade, na Avenida Antônio Pinto Duarte, está aguardando resposta da AgemCamp desde o início do ano.

“Essa demora pode ter relação com a falta de diretor executivo e da equipe técnica durante esses meses”, disse a prefeitura. Sacilotto admitiu que existem convênios pendentes e que ainda não há prazo para regularização.

“Esses convênios terão que ser agora regularizados pelo fato de você ter mudado o exercício. Eu assumi recentemente e nós estamos montando o corpo técnico, eles não foram nomeados ainda pelo governador”, explicou Sacilotto.

“Nenhuma prefeitura me questionou ainda sobre os convênios. Duas prefeituras ligaram pedindo para conversar comigo, eu pedi que me dessem uns dias. Agora, eu tenho conhecimento de vários convênios parados pela falta de uma direção na Agemcamp”, confirmou.

O presidente do Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas) e prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz (PSDB), cogita convocar os prefeitos para “uma avaliação e uma tomada de decisão sobre os trabalhos da Agemcamp”.

“Recebo muitas cobranças dos prefeitos para o andamento dos convênios e outras ações. Penso que o Estado está moroso para definir as nomeações. Com isso todo mundo perde! Não podemos aceitar um desmonte ou uma descontinuidade de tudo que já fizemos e também daquilo que temos dentro do nosso planejamento, que é fortalecer a RMC e implementar projetos regionais”, afirmou Cruz.

OUTRO LADO

A Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo informou que os quadros da Agemcamp serão complementados até o final deste mês. “Não há qualquer paralisação ou suspensão das atividades da agência, que conta hoje com oito servidores trabalhando normalmente”, informou.

A pasta garante que o corpo técnico – formado por um diretor e seis assessores – será nomeado até o final desta semana.

“A agência atua em iniciativas importantes, como o PDUI (Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado) da região, que depois será enviado à Assembleia Legislativa. A Agemcamp trabalha também na organização do Fórum Regional de Educação e no Projeto Saúde em Ação, entre outros”, traz a nota.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora