30 de maio de 2020 Atualizado 15:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Fábricas de SB e Sumaré dobram produção de máscaras

Esquema de trabalho ininterrupto foi adotado na Protdesc, de Santa Bárbara, que dobrou a produção desde o começo do surto, e na 3M Brasil, em Sumaré

Por George Aravanis

01 abr 2020 às 09:15 • Última atualização 01 abr 2020 às 16:49

Fabricantes de máscaras de proteção instaladas na região produzem 24 horas por dia, sete dias por semana, e tiveram de contratar funcionários para conseguir atender a demanda criada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

O esquema de trabalho ininterrupto foi adotado na Protdesc, de Santa Bárbara d’Oeste, que dobrou a produção desde o começo do surto, e na 3M Brasil, em Sumaré, que ampliou o quadro em 40 pessoas.

A empresa barbarense tem fabricado de 5,5 mil a 6 mil caixas por dia (cada uma com 50 máscaras) para atender os pedidos de hospitais, convênios de saúde e prefeituras, segundo o coordenador comercial, César Pedro.

Além das contratações (Pedro não soube precisar quantas foram), a Protdesc aumentou a jornada de trabalho de quase todos os funcionários da produção. A empresa só não contratou mais por que não consegue fabricar além disso. “A gente está no limite”, diz Pedro.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

A 3M Brasil informou, por meio da assessoria de imprensa, que desde o início do surto, na China, registrou aumento da procura – os números não foram informados. Quarenta funcionários foram contratados.

“A companhia tem trabalhado com total empenho para fornecer respiradores [máscaras] para uso de profissionais da área de saúde que atuam em instituições públicas ou privadas, com prioridade às demandas de órgãos do governo.”

A Câmara dos Deputados aprovou ontem a versão final do projeto de lei que proíbe a exportação de produtos considerados essenciais no combate à Covid-19, como máscaras e luvas.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

Em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e à quarentena vigente no estado de São Paulo, como ficam os direitos de consumidores em relação ao cumprimento de contratos de prestação de serviço? Em relação a festas ou à frequência na academia e na escola, por exemplo? O episódio do Além da Capa desta quarta-feira trata dessas questões.

{{1}}