Escolas da região iniciam movimento para ensino integral

Escolas Niomar Gurgel, em Americana, e Zambello Calil, de Nova Odessa, consultam comunidade sobre chance de mudança no sistema a partir do próximo ano


A Secretaria Estadual de Educação anunciou nesta quarta-feira que vai expandir o PEI (Programa de Ensino Integral) a partir de 2020. Escolas da região já se movimentam para pleitear a mudança, que precisa ser debatida com a comunidade escolar. As unidades terão até o dia 13 de setembro para demonstrar interesse ao Estado.

A expectativa da pasta é atender cerca de 100 unidades que tenham, em média, 500 estudantes cada. Uma das que devem fazer o pedido é a Escola Estadual Niomar Apparecida Mattos Gobbo do Amaral Gurgel, no Parque Gramado, em Americana.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Escola Niomar Gurgel, no Parque Gramado, em Americana: projeto foi apresentado para comunidade nesta terça

O LIBERAL apurou que a direção apresentou o projeto para a comunidade escolar nesta terça-feira e iniciou a votação, que inclui pais e também professores para saber se há interesse na mudança.
Atualmente, a unidade conta com 820 alunos do sexto ano do ensino fundamental até o terceiro do ensino médio. A consulta estava programada para terminar às 23 horas desta quarta-feira.

Já a Escola Estadual Professora Dorti Zambello Calil, em Nova Odessa, realiza na próxima segunda-feira, às 17h30, uma consulta com o conselho escolar para definir oficialmente o pedido. Conforme publicado pelo LIBERAL em março, o programa de educação em tempo integral é uma reivindicação antiga da comunidade escolar.

“A comunidade já estava esperando. Na reunião de pais de segunda, os pais já estavam sabendo. Já manifestaram vontade de participar, de fazer parte da escola integral”, comentou o diretor Aroldo Ramos Teixeira.

Em Santa Bárbara d’Oeste, a Escola Estadual Professora Irene de Assis Saes sinalizou anteriormente interesse em aderir ao ensino integral. Entretanto, a direção ainda não iniciou votação com a comunidade neste ano.

Ao LIBERAL, a secretaria estadual informou que as escolas podem consultar a comunidade previamente para saber se há interesse ou não. Entretanto, todos os pedidos serão analisados para identificar se a unidade se encaixa nos critérios exigidos. No entanto, a pasta disse que não está trabalhando com o nome de nenhuma escola específica no momento.

No ensino integral, a carga horária é de até nove horas e meia, enquanto na rede regular a jornada é de cinco horas. Hoje 417 escolas da rede estadual já funcionam nesta modalidade, 24 delas na RPT (Região do Polo Têxtil).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora