04 de agosto de 2020 Atualizado 22:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Empresas cancelam viagens, reforçam higiene e criam comitês

Risco de contaminação pelo coronavírus liga alerta e faz empresas adotarem medidas para lidar com a situação

Por André Rossi

17 mar 2020 às 12:47 • Última atualização 17 mar 2020 às 14:12

Foto: Divulgação
A Suzano Papel e Celulose, de Americana, montou um comitê de crise para difundir boas práticas sobre saúde dentro da empresa

Cancelamento de viagens nacionais e internacionais, adiamento de de eventos, reforços e orientações sobre higiene e a ampliação do home office são algumas das medidas que diversas empresas da RPT (Região do Polo Têxtil) têm adotado para lidar com a ameaça de contaminação do coronavírus (Covid-19).

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

É o caso da Suzano Papel e Celulose, de Americana, que montou um comitê de crise para difundir boas práticas sobre saúde dentro da empresa e discutir medidas de prevenção. A suspensão de viagens para locais onde há maior incidência de contaminação foi determinada, além de adiamento de eventos e substituição de reuniões presenciais por videoconferência.

“A empresa intensificou a frequência de ações como limpeza e higienização em áreas comuns de todos os seus ambientes e a divulgação frequente aos colaboradores de informações sobre medidas de prevenção e orientações de saúde”, disse a Suzano.

A Indústrias Romi, de Santa Bárbara d’Oeste, adotou uma campanha interna de conscientização sobre os comportamentos de prevenção recomendados pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Além de restringir viagens e eventos, as visitas na própria empresa também foram limitadas para reduzir a circulação de pessoas.

Localizada em Sumaré, a 3M Brasil suspendeu todas as viagens a trabalho por tempo indeterminado. O uso do álcool em gel é incentivado pela companhia, e está ao alcance dos funcionários em todas as unidades da empresa.

“Outra iniciativa é a orientação aos colaboradores que tiveram contato com pessoas que viajaram para áreas de risco, ou que tenham feito viagens internacionais, que observem sintomas e fiquem em quarentena de 14 dias após seu retorno ao Brasil, para as devidas avaliações e exames médicos necessários”, informou a 3M.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

O reforço na higiene nos restaurantes e áreas de grande circulação é incentivado pelos supervisores. No caso da Ober S/A Indústria de Comércio, de Nova Odessa, as mudanças foram implantadas nesta segunda-feira, de acordo com o gerente de recursos humanos, Carlos Vessoni.

“Disponibilizamos para eles (funcionários) os talheres (no restaurante) de forma individual, para que não tenha contato com os demais utensílios. Antes os talheres ficavam disponíveis e pegavam individualmente. E também fazemos orientação para que higienizem as mãos com sabão e também com álcool gel”, explicou Carlos.

Já tendência do home office tem sido adotada por empresas com muito trabalho de escritório, segundo o presidente do Sincomércio (Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste), Vitor Fernandes.

“Geralmente são empresas de RH, que tem muita gente em escritório, que estão pedindo para trabalhar de casa. Para evitar esse contato maior”, comentou.