Em meio à pandemia, região se mobiliza contra coronavírus

Orientação é que pais não levem alunos com gripe para a escola; não há recomendação do governo Estado para suspensão das aulas


Após a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarar pandemia de coronavírus no mundo na quarta-feira (11), a região está se mobilizando com ações de prevenção à doença.

Foi definido nesta quinta-feira (12) que os alunos da rede municipal e estadual de Americana que estiverem com gripe deverão ficar em casa até o fim dos sintomas. O motivo é que a gripe é uma doença transmissível, “podendo a levar a quadros graves de saúde”, disse a prefeitura.

Além disso, a orientação em relação à prevenção será intensificada junto aos alunos, pais e funcionários. “Isto será feito por meio de informe elaborado em conjunto com a vigilância local”, informou o Executivo.

Foto: Pixabay
Região começou a se mobilizar em função do coronavírus

As medidas foram definidas em reunião entre a coordenadora da vigilância epidemiológica, Simone Maciel; a secretária municipal de Educação, Evelene Ponce Medina; e o dirigente da Diretoria Regional de Ensino, Haroldo Ramos Teixeira. A Secretaria de Educação lembrou que não há nenhuma orientação para suspensão de aulas.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

A FAM (Faculdade de Americana) decidiu escalonar o intervalo dos estudantes para evitar aglomerações. A faculdade também vai suspender os eventos no Auditório Jamil Salomão. As medidas passam a valer na próxima segunda-feira (16).

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) suspendeu as atividades acadêmicas até o dia 29 de março. A universidade também cancelou todas as viagens de funcionários e docentes, assim como a recepção de visitantes.

Já a Sage, empresa de software de gestão localizada às margens da SP-304, informou que está estimulando o home office (trabalho de casa) e realizando conversas de conscientização com os funcionários.

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa informou que vai realizar nesta sexta-feira (13) uma reunião com diversos setores para discutir possíveis novas medidas de prevenção à doença.

Em Santa Bárbara d’Oeste, a Secretaria de Saúde vem intensificando as orientações por meio do envio de informações atualizadas sobre a situação epidemiológica relacionada à doença em todo o país.

Prevenção

O governador João Doria (PSDB) anunciou que vai solicitar ao Ministério da Saúde a habilitação de mil novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para atendimento de eventuais casos graves de coronavírus.

O pedido dos leitos será levado ao Ministério da Saúde, que precisa creditá-los e enviar recursos para seu financiamento.

A previsão é que 600 desses leitos sejam na cidade de São Paulo e o restante em hospitais estaduais. Atualmente, o Estado de São Paulo conta com 7,2 mil leitos de UTI.

“Nesse momento, 12 de março, às 11h14 da manhã, não há nenhuma razão para pânico ou medidas extremadas no Estado de São Paulo em razão do coronavírus”, declarou o governador.

O Hospital Estadual de Sumaré fará parte de um grupo de 100 instituições que vão passar por um treinamento para ativação de protocolo único de atendimento em casos suspeitos ou confirmados da doença.

A medida também foi anunciada pelo governo do Estado nesta quinta-feira e, até o fechamento da reportagem, não havia mais detalhes sobre o treinamento.

Vulneráveis

As pessoas com mais de 60 anos, portadores de doenças crônicas, cardiopatas, nefropatas, diabéticos, imunodeprimidos e em tratamento oncológico devem evitar participar de aglomerações.

A recomendação é do infectologista David Uip, que coordena o Centro de Contingência do Coronavírus no Estado de São Paulo.

“A recomendação é para que se poupe, seja protegido. Seguramente é uma doença que afeta essa população, não temos até esse momento letalidade na população jovem. Estamos focados na população mais vulnerável”, finalizou.

Casos na região

A cidade de Sumaré investiga dois casos suspeitos de coronavírus. Os pacientes são um homem de 42 anos e seu filho, de 10 anos. O pai retornou do exterior no dia 10 de março. De acordo com a Vigilância Epidemiológica do município, eles apresentam sintomas de tosse, coriza e dor de garganta. Os dois passam bem e aguardam o resultado dos exames em casa.

Americana descartou nesta quinta-feira mais um caso suspeito da doença. Uma mulher de 61 anos que havia retornado da Itália no dia 3 de março teve resultado negativo para o coronavírus.

Com essas atualizações, a região segue com cinco casos suspeitos. Além dos dois notificados nesta quinta-feira em Sumaré, há ainda dois pacientes sob investigação em Americana e um em Hortolândia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora