Doses da vacina da gripe serão liberadas à população na segunda

As doses seguirão disponíveis nos postos de saúde e não haverá mais reserva para os grupos considerados prioritários


A campanha de vacinação contra gripe termina nesta sexta-feira em todo o País. As doses seguirão disponíveis nos postos de saúde, mas não haverá mais reserva para os grupos considerados prioritários. Segundo comunicado do Ministério da Saúde, a partir de 3 de junho as doses serão liberadas a toda a população que quiser se vacinar.

Na região, apenas a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste já foi informada oficialmente sobre a liberação. “A partir de segunda-feira, as doses estarão disponíveis para a população em geral nas UBSs, de acordo com o cronograma de atendimento de cada unidade”, disse.

Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil
Ministério da Saúde informou que as
doses serão liberadas para todos a partir de segunda

“A parte de reservar vacina para os grupos de alto risco foi lançada amplamente divulgada. Vocês têm oportunidade até 31 de maio, mas depois disso ela fica aberta a toda a população”, declarou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Depois do dia 31, aqueles que entenderem que devem fazer uso da vacina da gripe, as unidades vão estar liberadas”, completou.

A vacina leva de 15 a 20 dias para gerar anticorpos no organismo. O imunizante protege por um ano, já que os vírus da gripe estão em constante mutação. As doses aplicadas neste ano tiveram mudanças em duas das três cepas que compõem a vacina – H1N1, H3N2 e Influenza B.

Durante a campanha, as doses estavam disponíveis apenas para os grupos considerados de risco – ou seja, pessoas que têm mais chance de apresentar complicações caso contraiam o vírus.

Os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, com base em critérios da OMS (Organização Mundial de Saúde) são pessoas com mais de 60 anos, crianças entre 6 meses e com menos de 5 anos; gestantes; puérperas; professores; profissionais da saúde e pacientes com doenças crônicas.

COBERTURA

A meta é vacinar 90% do público-alvo. De acordo com os balanços mais recentes divulgados pelas prefeituras da região, apenas Nova Odessa atingiu o objetivo. Hortolândia e Sumaré protegeram, respectivamente, 77% e 70% da população. Em Santa Bárbara d’Oeste esse índice é de 65%. Americana tem a cobertura mais baixa – apenas 57%.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora