18 de janeiro de 2021 Atualizado 22:42

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Doria cobra fiscalização ‘rigorosa’ de aglomerações e testagem

Em reunião virtual, governo disse que eventos podem ter facilitado reaceleração do contágio do coronavírus

Por Marina Zanaki

01 dez 2020 às 21:33 • Última atualização 02 dez 2020 às 10:44

O governador João Doria (PSDB) cobrou as prefeituras por fiscalização “rigorosa” de aglomerações, uso de máscara, testagem e rastreamento.

O pedido foi feito nesta terça-feira (1º) em reunião virtual realizada com representantes das prefeituras de Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Sumaré e outros 59 municípios em estado de atenção para a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Doria também recomendou que as prefeituras não autorizem festas ou eventos de final de ano. Para o governo, atividades que promovem aglomerações e desrespeito às normas de distanciamento social podem ter facilitado a reaceleração do contágio entre jovens e adultos.

Doria definiu a colaboração das prefeituras como “fundamental” para o controle da pandemia e para que sejam possíveis novas flexibilizações em janeiro.

“Vamos precisar muito da cooperação de todos assim como já obtivemos ao longo dos meses, mas especialmente neste final do ano. Reconhecemos que as pessoas estão cansadas dado o longo período dessa pandemia. Mas até a chegada da imunização com as vacinas, não temos outra arma senão a proteção com máscaras, álcool em gel e higienização das mãos, distanciamento social e evitar aglomeração”, declarou Doria.

A orientação é que as Guardas Civis e a Vigilâncias Sanitárias dos municípios sejam rígidos para coibir aglomerações em ambientes públicos e privados. O governo de SP disse que vai garantir apoio da Vigilância Sanitária Estadual a ações municipais.

“Não há economia sem vida, não há existência sem saúde. Estamos muito próximos da vacina, especialmente em São Paulo, então vamos ter um pouquinho mais de resiliência e resistência ao longo dos próximos meses para nos protegermos para a volta ao novo normal, que só acontecerá após a imunização”, disse Doria.

Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn explicou aos prefeitos que a ampliação das taxas de testagem é uma arma para monitoramento da pandemia. Os diagnósticos positivos devem ser acompanhados de rastreamento das pessoas que tiveram contato com o paciente, mesmo que assintomáticas.

“Temos que testar os pacientes que têm pouco sintomas, como dor de garganta, nariz entupido e febre. Testar de forma precoce e isolar os pacientes é controlar a disseminação do vírus na nossa população”, disse Gorinchteyn.

Proveitoso
Secretário de Saúde de Americana, Gleberson Miano representou a cidade na reunião virtual.

“Não houve nada específico voltado para Americana diferente do que vem sendo feito. A reunião serviu para que houvesse uma explanação sobre o panorama do Estado e como o Governo está se preparando para conter a doença. Foi um encontro proveitoso e essencialmente de orientação”, comentou o secretário.

“O que está claro, e é algo que temos reforçado, é que as pessoas não podem abaixar a guarda diante dos riscos da pandemia”, finalizou Gleberson.

O prefeito de Santa Bárbara d’Oeste, Denis Andia (PV), participou da reunião representando a cidade. As prefeituras de Santa Bárbara e Sumaré não comentaram a participação no encontro virtual com o governador.

Atenção
O governo de São Paulo está monitorando as cidades com mais de 70 mil habitantes que tenham ocupação média de leitos acima de 75% ou aumento de internações em mais de 10% nos últimos sete dias.

Publicidade